Category

Decoração

Category

Reutilizar materiais na decoração é uma forma não só de ajudar o meio ambiente, mas também de economizar e criar ambientes altamente personalizados e únicos, não é verdade? 

A recente tendência do uso de pallets e caixotes na decoração de quartos, salas e até mesmo de ambientes externos, teve seu boom com a viralização dos conteúdos DIY (do it yourself) ou, em bom português, conteúdos “faça você mesmo”, nos quais pessoas compartilham passo a passo como fazer artigos de decoração do zero, geralmente com itens reutilizados.

As possibilidades dos pallets e caixotes são enormes: com esses materiais, é possível criar camas, sofás, criados-mudos, nichos e muito mais. Quer saber mais sobre esse tipo de decoração sustentável? Continue lendo e veja as dicas dos nossos especialistas em decoração 🙂

O que são e onde encontrar?

Pallets

Os pallets são estrados de madeira, metal ou plástico utilizados para movimentar cargas em empilhadeiras, sendo muito comuns em fábricas e depósitos. Por serem bem resistentes, os pallets são ótimos para a criação de móveis como cama e rack para TV, por exemplo. 
Você consegue encontrá-los à venda ou, até mesmo, para doação em diversos locais, como lojas de decoração e construção, madeireiras e marketplaces em geral.

Caixotes

Os caixotes de madeira são amplamente utilizados em feiras, mercados e sacolões para armazenar frutas e alimentos em geral. Eles podem ser vendidos a preços acessíveis ou até mesmo doados nesses locais, além de também serem facilmente encontrados na internet. 

Podem não ser tão resistentes quantos os pallets, já que não foram feitos para aguentarem produtos tão pesados, mas são ótimas alternativas para a criação de nichos de decoração, jardins verticais, mesa de centro, sapateiras e muito mais.

Atenção à qualidade da madeira!

Uma das partes mais importantes da escolha dos seu caixotes e pallets ao comprá-los ou recebê-los de doação é atentar-se ao estado de preservação deles. Assim, você garante que sua decoração será não apenas bonita, mas também funcional e versátil, já que quanto melhor a qualidade dos seus caixotes e pallets, mais peso eles conseguirão suportar. 

A aparência diz muito sobre seu estado de conservação! Portanto, procure adquirir pallets e caixotes sem muitas manchas e marcas e preste atenção se há umidade neles. Madeiras mais claras e lisas indicam produtos mais novos e bem cuidados.

Depois de escolhidos, lembre-se de lixar as madeiras antes de começar a decorar, seja pintando ou envernizando. Dessa forma, você evita que farpas acabem saindo e eventualmente machucando os dedos de alguém.

Exemplos de decoração com pallets e caixotes

1. Áreas externas

Os pallets e caixotes são ótimos para a criação de jardins verticais, ambientes de descanso ao ar livre, sofás para varandas e até mesmo espreguiçadeiras e balanços:

2. Salas de estar

Nos ambientes comuns da casa como salas de estar e de jantar, é possível utilizar pallets e caixotes para criar sofás, mesas de centro, nichos presos às paredes, suportes e racks de TV e muito mais!

3. Quartos

Nos quartos, eles podem ser utilizados como camas, escrivaninhas, estantes, nichos, closets, criados-mudos etc. É só dar asas à imaginação e começar a criar!

4. Banheiros

Nos banheiros, as possibilidades são um pouco reduzidas pelo tamanho do ambiente, mas o que não significa não poder utilizá-los. É possível fazer nichos, apoios para revistas e itens de higiene e o que mais sua imaginação e espaço permitirem 🙂

E aí, o que achou das inspirações de decoração com pallets e caixotes? Se você se interessa por consumo consciente e decoração, não se esqueça de continuar acompanhando nosso blog para mais dicas como essa!

Um revestimento pode fazer toda diferença no ambiente, como trazer um ar mais moderno, retrô e rústico, por exemplo. São diversas opções para criar um charme no ambiente transformando-o em um espaço único.

É importante escolher o material adequado, por exemplo, se a parte que for revestida tiver contato com água, como um box no banheiro, vai ser importante se certificar de usar um revestimento que poderá ter contato direto com umidade. 

Para os revestimentos da cozinha e banheiro é preciso priorizar a praticidade, a durabilidade e a facilidade de limpar, principalmente, visto que esses são ambientes de maior movimento e acúmulo de sujeira.

É bom lembrar que para garantir a segurança é importante usar também revestimentos que são antiderrapantes.

Pensando nesses detalhes, que muitas vezes são esquecidos, trouxemos uma lista com algumas opções para te ajudar a escolher. Assim fica mais fácil escolher o mais prático, mais bonito e que cabe no orçamento 🙂

Tipos de revestimentos

O revestimento precisa ser escolhido de acordo com o estilo da decoração do ambiente, para que fique tudo bem harmônico.

Há diversos modelos, em diversas cores e formas, como os azulejos, as pastilhas, o porcelanato, mármore, entre outros.

Hoje também encontramos no mercado opções de adesivos que imitam esses modelos para quem gosta de estar sempre mudando e não quer gastar muito.

Com tantas opções disponíveis fica meio difícil saber qual a melhor opção para sua cozinha, por isso listamos 6 opções para você conhecer melhor e saber os cuidados com cada um:

Azulejos 

Uma opção muito usada são os azulejos, podem ser usados em pisos, paredes e podem ser usados tanto em banheiros como em cozinhas, pois funciona muito bem em diversos ambientes pela sua praticidade. Há uma ampla variedade de cores e tamanhos, tem um ótimo custo benefício, é extremamente fácil de cuidar visto que pode ter contato direto com água.

Limpeza: azulejos tendem a ficar com aspecto encardido principalmente as cores claras por isso uma boa dica é usar uma mistura de água, detergente e vinagre branco. Esfregue em movimentos circulares com uma esponja, limpe com um pano úmido e depois com um pano seco.

Porcelanato

O porcelanato é um tipo de revestimento cerâmico e é uma ótima opção de revestimento para cozinhas e banheiros, ele absorve menos água do que uma parede comum e tem alta resistência à abrasão física e química.

Tem diversas opções e é muito resistente a manchas e riscos. É perfeito para quem busca um ambiente mais sofisticado. 

Você pode usar tanto nas paredes quanto no piso, mas é importante equilibrar para que os ambientes não fiquem carregados se caso as cores escolhidas forem diferentes ou mais escuras.

Limpeza: utilize detergente ou sabão neutro e água, varra o piso com uma vassoura de cerdas macias para não arranhar, passe um pano de chão molhado e seque o piso com um pano seco para que não fiquem manchas. Se for limpar a parede use também um sabão neutro e água.

Pastilhas

Uma boa opção para trazer um ar moderno é as pastilhas que podem ser encontradas de diversos tipos de materiais: cerâmica, vidro, metal, mármore e muito mais.

Porém, uma desvantagem é o preço alto delas mas você pode optar por utilizá-las em pequenas partes apenas para dar uma cor a um ambiente neutro.

Elas são perfeitas para espaços pequenos pois elas dão sensação de amplitude.

Limpeza: a limpeza não precisa ser tão profunda, pois as pastilhas não absorvem água com facilidade. Você pode usar um pano comum ou flanela. Além disso, a água deve ser morna para ajudar a remover a gordura grudada.

Mármore 

O revestimento em mármore deixa o ambiente sofisticado e iluminado, mas é um investimento alto comparado a outros. Pode ser utilizado nas paredes, no piso ou em bancadas. Tem diversos tipos e é super resistente, não desgasta com facilidade. 

Limpeza: o mármore deve ser limpo com um pano umedecido com água e detergente, sabão neutro ou sabão de coco. Após esse procedimento, passe um pano molhado com água e termine secando o piso com um pano macio.

Ladrilho Hidráulico

Os ladrilhos são ótimas opções para dar um charme e personalidade para o espaço por ser bem marcante e ficam melhor em bancadas e paredes do box do banheiro por isso. 

Por ser artesanal o custo dele é mais elevado.

Limpeza: os ladrilhos hidráulicos são limpos com fricção ou abrasão, e não com produtos químicos. Lave os ladrilhos sempre com água e sabão neutro usando uma vassoura ou escova.

Cimento queimado

O cimento queimado é muito versátil e dá um aspecto moderno que combina com todos os estilos de decoração. Por usar apenas alguns materiais como argamassa, cimento, areia e água ele não é caro, então é um ótimo revestimento para quem quer estilo na decoração gastando pouco.

Limpeza: o ideal para manter o piso de cimento queimado limpo, é remover as sujeiras, como pó e areia, usando vassoura ou aspirador de pó. E na hora de lavá-lo, utilizar detergente neutro, água morna, pano limpo ou uma escova de limpeza.

Bônus: 

Tinta Epóxi

Se sua intenção é fazer uma mudança rápida, como trocar as cores dos azulejos ou pisos já existentes do seu banheiro ou cozinha uma boa opção são as tintas epóxi.

Algumas de suas vantagens são a durabilidade, a praticidade na limpeza e a impermeabilidade.

Limpeza: a limpeza de azulejos de cozinhas pintados com tinta epóxi deve ser feita com esponja macia e sabão neutro e tome cuidado com produtos abrasivos pois eles podem remover a tinta. 

E aí já sabe qual vai ser o escolhido para revestir seu banheiro e cozinha? Esperamos que nosso post te ajude nessa missão. Fique de olho no blog da UmHelp! Estamos sempre postando dicas para você. Até breve <3

Um espaço pequeno – como alguns cômodos específicos, uma kitnet, apartamento ou até mesmo uma casa menor – pode parecer um empecilho para decorar e tornar o ambiente mais agradável.

Mas se engana quem pensa isso, já que os ambientes menores estão se tornando cada vez mais comuns nos grandes centros urbanos e a decoração de interiores tem focado mais do que nunca nesses pequenos ambientes.

Pensando nisso, trouxemos algumas dessas dicas de especialistas em decoração para você transformar aquele espacinho em um ambiente funcional e aconchegante! 

Continue lendo para saber mais 🙂

Conheça dicas para decorar espaços pequenos 

Um espaço pequeno não é sinônimo de não ter “muito” o que fazer. Pelo contrário: você pode investir em diversos detalhes para decorar o seu espaço. O segredo é ter criatividade, escolhendo móveis e objetos adequados para cada espaço. O importante é usar o que você tem com sabedoria para que tudo se encaixe e fique harmonioso.

Os ambientes com áreas reduzidas necessitam de soluções criativas e também de muita organização para que não fiquem com um visual carregado, já que muitos móveis podem poluir e atrapalhar a circulação. Mas, com algumas dicas, fica bem mais simples acertar na hora de decorar:

Móveis planejados

Primeiramente, é importante ter noção do espaço que você tem e assim buscar por móveis que não irão poluir e nem atrapalhar a circulação dos ambientes. Uma boa sugestão é buscar por móveis planejados, feitos sob medida, para que todo seu espaço seja bem usado.

Procure por móveis que possam ser usados para mais de uma função, como um sofá-cama, puff-baú e outros do tipo. Além de um lugar a mais para sentar você pode guardar itens dentro deles, o que auxilia bastante na economia de espaço. Opte também por móveis com gavetas para aproveitá-las com a mesma função.

Cores neutras

Invista em cores neutras, como branco e tons mais suaves nas paredes. Essas cores tendem a dar uma noção de espaço maior, enquanto as escuras dão a sensação de que o espaço é menor do que já é. Use os tons mais escuros em almofadas, objetos, mantas para o sofá etc. para dar uma quebrada nos tons mais claros das paredes e móveis.

Integre os espaços

Opte por integrar os espaços! O conceito aberto traz a sensação de espaço maior, como uma sala de jantar integrada com a cozinha, no estilo americano. 

Verticalize a decoração

Você pode usar prateleiras suspensas, por exemplo, para economizar espaço. Aproveite o espaço das paredes para decorar: os nichos são perfeitos para guardar objetos sem ocupar espaço, além de serem um ótimo item para decoração. Você pode colocar plantas, livros, entre várias coisas do seu interesse dentro deles. 

Você pode também instalar ganchos para pendurar itens e otimizar o espaço, como na cozinha e banheiro. Além de organizar o espaço, você dá um toque a mais na decoração 😉 Só tome cuidado para não encher demais as paredes e acabar poluindo o ambiente.

Espelhos são itens perfeitos para dar a sensação de um espaço maior; é como se o cômodo dobrasse de tamanho, então invista neles. Eles podem ser instalados em qualquer lugar: no quarto, atrás da mesa de jantar da sala, entre outros.

A decoração de espaços pequenos não precisa ser complicada e você pode contar com diversas alternativas para aproveitar cada m² do seu. O importante é usar o que você gosta a seu favor pensando na funcionalidade e na organização.

Esperamos que com nossas dicas você consiga ter um ambiente harmônico, organizado e que consiga até mesmo expandir seu ambiente, com o uso da decoração certa 🙂

Gostou das nossas dicas? Fique de olho no blog da UmHelp! Estamos sempre trazendo dicas para te ajudar a transformar sua casa em um ambiente melhor. <3

As estampas são uma das peças-chave para decorar os ambientes, deixando-os mais despojados, dinâmicos e quebrando a monotonia. Podem ser encontradas em diversos acessórios, como: almofadas, cortinas, tapetes, toalhas de mesa, roupas de cama e muito mais. Além de poderem ser utilizadas na decoração de diversos cômodos, como quartos, salas, escritório e até mesmo em banheiros. 

Incorporando as estampas aos ambientes

Quando o assunto é incorporar estampas à decoração, podem surgir muitas dúvidas, do tipo: como combinar as estampas, onde utilizá-las, quais cores combinar. Comece pensando nas cores e formas que mais te agradam, a partir daí fica mais fácil escolher as estampas e até mesmo como combiná-las com outras diferentes. 

E uma grande vantagem é a ampla variedade de modelos e estilos de estampas disponíveis no mercado. São diversas possibilidades: temos as geométricas que estão cada vez mais em alta, florais, estampa animal, xadrez, listras, entre tantas outras! 

O que não falta são opções e possibilidades. Com um pouco de planejamento e criatividade é possível explorar esse estilo criando ambientes convidativos e harmônicos.  

Quer saber mais? Dá uma olhada em nossas dicas (:

1. Padrão

Escolha um padrão de estampa para ser seu ponto inicial. Assim, a partir deste padrão, você pode ir se guiando na escolha das outras estampas que irão complementar a principal. Por exemplo, se optar por estampas geométricas (que inclusive estão super em alta!), você pode escolher várias opções de modelos dentro desse padrão. 

E, além disso, opte por estampas com elementos em comum para que elas conversem entre si como, por exemplo, estampas com elementos de animais.

2. Cor

Use a cor a seu favor, seja de um tapete que você já tenha, móveis e até mesmo a cor da sua parede, assim você pode trabalhar as combinações de estampas em cima destes tons. Detalhe: eles não precisam ser os mesmos. Podem ser cores semelhantes, complementares ou análogas, por exemplo. Aqui vale utilizar da ajuda do círculo cromático ;).

Estabeleça uma conexão de cores, pois assim é mais fácil combinar tendo uma cor em comum nas estampas. Uma cor sólida também vai ajudar a harmonizar a combinação, por exemplo, almofadas de estampas diferentes que não estejam harmonizadas podem ficar melhores se você colocar uma almofada com apenas uma cor. 

Então aproveite as cores do ambiente e faça ótimas combinações.

3. Todos os lugares

Quando se trata de estampas, uma das coisas boas de utilizá-las em sua decoração é o fato delas poderem ser usadas em qualquer lugar, seja nos móveis, em papéis de parede, almofadas, quadros, tapetes etc. 

Combinar estampas em móveis e objetos decorativos é uma ótima maneira de incorporar e explorar cores e contrastes na composição dos ambientes. Se você tiver uma sala ou quarto todo branco, por exemplo, pode incorporar as cores através das estampas que irão trazer cor e dinamismo para o espaço.

4. Explore

O segredo é não ter medo! xplore texturas e cores em sua combinação de estampas, mas faça isso sem exageros. Varie os tamanhos dos padrões das estampas, elas podem ser iguais, porém com tamanhos diferentes. Ou então estampas similares com cores em comum, você pode também misturar e fazer um mix de estampas criando um aspecto moderno.

Procure usar elementos que tenham conexão para ficar mais fácil de criar um padrão e use as cores que você tem no seu ambiente a seu favor.

O importante é o ambiente não ficar carregado, mas sim esteticamente e visualmente harmônico. 😉

Muitas vezes, a maior dificuldade de usar estampas na decoração é não saber por onde começar, como combinar ou quais estampas escolher, não é mesmo? Esperamos que com as nossas dicas você consiga explorar as possibilidades e usar as estampas para criar ambientes agradáveis! 

Conte com sua criatividade e se jogue!  🙂 

Gostou das nossas dicas? Esperamos que sim <3 Continue acompanhando o blog da Umhelp! Estamos sempre trazendo dicas para ajudar na sua decoração. 

Cortinas são parte fundamental da decoração de ambientes, já que têm o poder de deixá-los relaxantes e intimistas, além de controlarem a luz e ajudarem a manter a privacidade dos moradores, é claro. Mas você sabe como escolher os modelos certos para os seus ambientes?

Confira as melhores dicas da UmHelp para aproveitar esses itens de decoração da melhor maneira, utilizando cores, modelos e tamanhos que deem um up na sua casa, seja no quarto, sala, cozinha ou onde você quiser utilizá-los! Continue lendo para saber mais 🙂

Finalidade das cortinas 

A primeira etapa da escolha das cortinas é entender a finalidade delas em seus ambientes de acordo com a necessidade, o que é crucial para que você não fique muito perdido durante sua pesquisa, já que existe uma grande variável de modelos para cada utilidade. 

Além de um item decorativo, as cortinas podem ser úteis para:

  • Proteger os móveis da luz, ajudando a conservá-los, 
  • Controlar a luz que entra nos ambientes;
  • Criar um ambiente relaxante e sofisticado;
  • Manter a privacidade dos moradores;
  • Impedir que a água se espalhe, no caso de cortinas para banheiro.

Quando você tiver definido os principais objetivos da sua futura cortina, é hora de conhecer os tipos!

Tecidos

Existem dezenas de tecidos para cortinas no mercado, sendo eles naturais, sintéticos ou mistos. É importante dar atenção para os tecidos naturais, pois eles são mais frágeis e podem durar menos, como o linho e algodão.

Para te inspirar, fizemos uma breve seleção dos mais utilizados. Confira:

1. Cortina de veludo

Cortina de Veludo

Sofisticadas e com textura ímpar, as cortinas de veludo podem ser uma ótima escolha para quem procura aconchego e luxo. Por terem um tecido encorpado, elas são ótimas reguladoras de temperatura e luminosidade, além de ajudar a abafar o som.

2. Cortina de seda

Cortina de Seda

Um dos tecidos mais nobres, a cortina feita de seda é o item certo para tornar seu ambiente elegante e requintado. A seda é uma fibra resistente e ótima para reter umidade dos ambientes, além de ser macia e brilhante.

3. Cortina de cetim

Cortina de Cetim

O cetim é um tecido bastante delicado e leve, o que pode tornar necessário o uso de uma cortina blecaute por baixo, como forro. Assim é possível eliminar a luminosidade e ainda manter a cortina de cetim como decoração na parte da frente. 

Por ser leve e permitir a entrada de luz solar, a cortina de cetim pode ser utilizada para compor ambientes com pouca entrada de luz, seja sozinha ou com tecidos mais leves, como o voil.

4. Cortina blecaute

Cortina Blecaute

Como já citamos anteriormente, a cortina blecaute (ou blackout) possui um tecido grosso, justamente para bloquear a luz no cômodo escolhido. Ela é uma ótima pedida para quartos e salas de estar, garantindo a iluminação certa para assistir TV ou para quem gosta de dormir até mais tarde e não quer ser acordado pela luz do dia. 

Elas geralmente são utilizadas atrás de outra cortina com tecido mais leve e sofisticado, como o cetim, linho ou a seda. Mas, se você quiser usar só o blecaute, pode personalizá-lo com papel contact ou com tecido. Assim, você consegue o efeito do blecaute com uma estampa que combine com o ambiente 😉

Tamanho

Um tamanho de referência para se ter sobre as cortinas é o dobro da janela + 40cm de largura. Assim, é possível criar franzimento, a projetando para dentro do espaço. A altura, por sua vez, não precisa ser rente à janela.

Instalar a cortina acima da janela, próxima ao teto, dá a sensação de pé direito mais alto, deixando o ambiente ainda mais elegante e amplo. Por isso, não se preocupe com o espaço entre o varão e a janela! Veja abaixo:

Exemplo de cortina curta

Cortina curta 

As cortinas curtas são boas pedidas para situações específicas, sendo elas:

  • Móveis que impedem o caimento da peça até o chão;
  • Em quartos infantis, nos quais as crianças podem puxar e rasgar o tecido;
  • Em ambientes onde existe o risco de sujar e molhar, como cozinhas e banheiros.

Cor

Para acertar na cor da sua cortina, considere todo o ambiente e o seu objetivo com ele. 

Se você quer tornar o ambiente sério e intimista, cores escuras são uma boa. Já se você quer que a cortina passe despercebida, invista em um modelo da mesma cor da parede. 

Branco e cinza, por exemplo, combinam com acabamentos em cimento, com preto e com itens metalizados, e estampas coloridas vão bem para ambientes descontraídos e modernos 🙂

Fixação

Existem duas formas comuns de fixar cortinas na parede: com trilhos ou varões. Quer saber qual deles escolher? 

Trilhos

Trilhos normalmente são utilizados para cortinas feitas sob medida, e são perfeitos para dar elegância em ambientes mais tradicionais. Sua limpeza e mobilidade são mais difíceis do que a dos varões, mas os trilhos trazem uma sofisticação insubstituível para quem gosta de decoração clássica.

Varões

Já os varões permitem que as cortinas prontas possam terminar rente ao piso, já que a altura da sua fixação pode ser modificada. Os varões podem vir em forma de golas, alças, ilhoses e outros, e são bem fáceis de instalar e de limpar, reunindo a praticidade e a elegância que o dia a dia moderno exige.

O que achou dos modelos de cortinas? Se você está pronto para decorar seu ambiente com alguma delas, não se esqueça de contar com a UmHelp quando precisar lavá-las. É só clicar aqui que vamos até você e cuidamos das suas cortinas do jeito certo!

Quadros são elementos quase que indispensáveis na decoração de interiores – você já deve ter reparado, não é mesmo? Se está na dúvida, pare e pense um pouco: você se lembra de ter visitado alguma casa que não contasse com ao menos um deles em suas paredes?

Seja na sala, no quarto ou, até mesmo, na cozinha ou no banheiro, os quadros podem ser utilizados de forma a dar personalidade e estilo ao ambiente, criando uma atmosfera ainda mais harmônica e aconchegante.

Se você tem interesse por essas peças e quer aproveitá-las para decorar sua casa ou seu escritório, confira algumas dicas que separamos para você se inspirar e compor uma decoração que seja a sua cara! Vamos lá? 🙂

O que levar em conta ao combinar quadros?

1. Use elementos que reflitam sua personalidade

Assim como em toda a decoração do ambiente, a dica número um é utilizar elementos que tenham a ver com a personalidade e com os gostos dos moradores. Portanto, nada de criar um ambiente que não reflita quem você realmente é, ok? 🙂 Levando seus gostos pessoais em consideração, suas chances de acertar na combinação já sobem bastante. 

2. Selecione quadros que conversem entre si

A dica número dois é selecionar quadros que conversem entre si, seja pelo tamanho, temática, estilo, cores ou outras variáveis que os tornem mais agradáveis ao olhar. Uma forma de ornar essa combinação sem errar é fazendo uma montagem prévia, seja pelo computador (pelo Photoshop, por exemplo) ou com papeis colados na própria parede.

Veja abaixo algumas montagens que podem te ajudar a se inspirar:

Exemplos de alinhamento de quadros

Lembre-se que essas são apenas algumas das diversas possibilidades de combinações que você pode fazer! Para te ajudar, ao ornar quadros de tamanhos diferentes, tente seguir uma linha referencial, alinhando por cima, por baixo ou por colunas 😉

3. Considere todos os detalhes do ambiente

A decoração do ambiente deve ser ornada como um todo. Portanto, considere não somente a harmonia dos quadros entre si, mas também com os móveis, as paredes e os outros itens decorativos já existentes no ambiente em que você está decorando. 

Por exemplo, quadros muito pequenos em uma parede grande podem passar uma impressão de espaço vazio, assim como quadros muito grandes juntos podem passar uma sensação de confusão e bagunça. A proporção dos quadros é essencial para que eles possam ser vistos da melhor maneira possível. 

Por exemplo, quadros grandes pendurados em um corredor estreito não permitem um distanciamento ideal, assim como quadros pequenos muito próximos uns dos outros em ambientes grandes se confundem e dificultam a visualização.

Além de sua proporção, é importante que os quadros estejam a uma distância segura dos móveis. Ninguém quer correr o risco de sentar no sofá e acabar deixando um quadro cair, não é? Para não correr esse risco, mantenha-os a uma altura mediana, nem muito alta, nem muito baixa, que permita a visualização de todos pela linha dos olhos.

Outra dica importante é colocar sua criatividade para trabalhar, mas evitar misturar estilos muito diferentes, como tapeçaria com quadros modernos. Unir estilos semelhantes com molduras diferentes, por exemplo, pode dar personalidade e um toque de excentricidade, mas tome cuidado para não exagerar!

O tapete é um acessório que divide opiniões na decoração. Tem quem ame e tem quem prefira deixá-lo de lado, mas uma coisa é certa: ele pode dar mais personalidade e ajudar a trazer o aconchego que procuramos dentro de casa.

Se você é uma das pessoas que acredita que a peça possa dar um charme a mais nos seus ambientes, confira nossas dicas essenciais para saber como utilizá-los e mantê-los na sua casa da forma correta. Continue lendo para saber mais!

Por que utilizar tapetes na decoração de casa?

Assim como outros itens de decoração, os tapetes possuem inúmeras variações de modelos, tamanhos, cores e acabamentos. Cada um deles, com suas características específicas, podem contribuir para: 

  • Aquecer o ambiente escolhido;
  • Valorizar a decoração da sua casa;
  • Delimitar espaços;
  • Trazer aconchego e personalidade;
  • Diminuir ruídos, como os de móveis, por exemplo.

Portanto, mesmo tendo diversos benefícios, é importante ter em mente a importância da limpeza dessa nova peça, que deve ser feita regularmente. O acúmulo de poeira nos tapetes é um dos principais motivos que levam pessoas com tendências alérgicas a deixarem esse acessório de lado na decoração, mas isso não significa que você precisa se desfazer deles.

Higienizá-los com um aspirador de pó regularmente e colocá-los ao sol de tempos em tempos já irá resolver o problema. Ah, e nada de varrer a sujeira pra debaixo do tapete, combinado? 😉

3 dicas para utilizar tapetes na decoração da casa

1. Em qual ambiente colocar?

Para escolher onde colocar um tapete, é importante considerar o estilo da decoração da casa e os hábitos dos moradores. Por ser uma peça versátil, é possível incrementá-los na decoração interna, de salas e quartos, ou externa, como de varandas e entradas.

Em espaços conectados, como uma sala que se divide em área de jantar e de estar, é possível utilizar diferentes tapetes para delimitar o espaço de cada um deles. Se esse for o seu caso, você pode utilizar um tapete neutro em um espaço e um mais trabalhado e colorido em outro.

Outra possibilidade interessante é a de utilizá-lo como ponto focal de um ambiente que mereça mais atenção, como no canto de uma escrivaninha ou embaixo de uma mesa central.

2. Como decidir o tamanho ideal?

Após decidir onde colocá-lo, o tamanho do tapete precisa ser escolhido levando em consideração as proporções do ambiente. Quanto maior, mais atenção ele irá chamar, mas lembre-se de ter cuidado para não deixá-lo desproporcional aos móveis. 

Para te ajudar, recomendamos as seguintes medidas:

  • De 15cm a 20cm maior do que a área que está sendo demarcada;
  • Entre cerca de 10cm abaixo do sofá;
  • Para salas de jantar, é preciso calcular o espaço suficiente para arrastar as cadeiras.

3. Como escolher cores, formatos e materiais?

Se você já pesquisou tapetes para comprar, deve ter percebido a grande variação que eles podem ter. São diversos tamanhos, formatos e estilos estampados em materiais que vão desde as fibras até o couro, seja ele sintético ou legítimo.

Formas geométricas são uma grande tendência, assim como os tapetes feitos à mão (aqueles antigos tricôs e crochês das nossas avós voltaram com tudo!) com os formatos e cores mais inusitados. 

Cada um deles irá se encaixar melhor a estilos e cômodos diferentes e, por ser um objeto decorativo, cada uma dessas características irão se moldar ao estilo da casa e dos próprios moradores. Por isso, essa é a hora de usar a imaginação! 

Conheça alguns dos modelos queridinhos do momento:

Tapete persa

Tapete Persa

Tapete de fibra

Tapete de Fibra

Tapete de couro

Tapete de Couro

Tapete peludo

Tapete Peludo

Tapete redondo

Tapete Redondo

E os tapetes de parede?

Uma tendência que vem desde a antiguidade, utilizar tapetes na parede como decoração hoje em dia não se limita mais às peças antigas e extremamente caras. Você pode pendurar tapetes modernos ou clássicos, combinando com outros itens de decoração ou até mesmo entre si, fazendo sobreposições e misturando estampas.

Exemplo de Tapete na Parede

Pensar no tapete como uma obra de arte que merece ser pendurada no seu quarto ou sala demonstra autenticidade e personalidade, mas também requer atenção especial para não estragar suas paredes e dar um charme a mais na decoração. 

Por isso, não se esqueça de:

  • Pendurar tapetes não muito pesados, para não sobrecarregar a parede;
  • Utilizar velcro, varão de cortina ou uma moldura para colocá-lo no lugar;
  • Colocá-los sobre um painel ou adicionar filetes para as pontas não se enrolarem;
  • Limpá-los com frequência, assim como os tapetes de chão.

E aí, o que achou das dicas de tapetes para ambientes? Se esse post te ajudou a decidir como incrementar a decoração da sua casa, não se esqueça de contar com a gente quando precisar de uma ajuda na limpeza deles 🙂 É só clicar aqui e pedir um help que vamos até você!

Toda casa é especial. Não importa se bem grandona ou bem pequena, se cheia do luxo ou bem simples. E sabe por que toda casa é especial pra gente? Porque todas elas colecionam histórias de famílias, lembranças de amigos, memórias dos filhos, encontros entre pais e filhos e assim vai… Sim, toda casa tem valor, mas você concorda com a gente que uma casa bem decorada e organizada é bem mais legal?! 🙂

A gente adora todo tipo de casa, mas gostamos ainda mais daquelas cheias de nichos lindos espalhados pelo quarto, pela sala, pelo banheiro, pela cozinha e até pelo quintal. É sobre eles que vamos falar hoje: como aproveitar os nichos na decoração da casa? Como usar os nichos de forma bonita? Bora?

Os nichos decorativos chamam a atenção não importa onde estejam e nos ajudam a organizar os objetos que colecionamos ao longo da vida: porta-retratos, livros, home decor, souvenirs, bebidinhas, presentes dos amigos, tudo mais que você quiser! Além de economia de espaço, eles trazem charme e personalidade para os ambientes, e você pode usá-los de diferentes formas. 

Nichos na horizontal

Nesse esquema, é só priorizar a simetria horizontal dos seus nichos. Alinhe-os pelo centro e pendure um do lado do outro, numa linha reta. Esse modelo é bom para paredes largas, pois você ocupa os espaços com personalidade e os nichos dão um charme extra para elas. Dois nichos já são suficientes para esse modelo – mas você pode usar quantos quiser e couber.

Nichos na vertical

Se seus nichos são pequenos ou se sua parede é bem alta, alinhe os nichos pelo centro outra vez, mas posicione um embaixo do outro, preservando a simetria. Esse formato de organização dos nichos é legal para paredes mais estreitas, tipo uma paredinha num final de um corredor, por exemplo. Aqui, você consegue uma composição legal com dois ou mais nichos também.

Nichos na diagonal 

Se você prefere nichos desorganizados, mas ainda assim organizados (risos), opte para o modelo diagonal. Eles são indicados para paredes maiores, porque ocupam os espaços vertical e horizontalmente. Para essa composição de nichos, você vai precisar de, no mínimo, três peças, iguais ou não. Mas lembre-se de medir bastante e fazer uma marcação antes de fixar os nichos na parede, tá? Esse modelo é mais difícil um pouquinho de colocar.

Nichos alternados

Outro modelo legal de como organizar os nichos é alternar: um pra cima, outro pra baixo, outro mais no meio. Um pra cá, outro pra lá. Aí é você quem manda na forma de organizar. Sugerimos aqui fazer uma marcação a lápis, com fita ou com barbante na parede, para você conseguir visualizar antes como seus nichos vão ficar depois.

Nichos em mosaico regular

Se você tem vários tamanhos diferentes de nichos para pendurar, você pode montar um composé alternando os modelos e tamanhos. Fica bem legal e você foge do óbvio e do tradicional \0/

Nichos em mosaico irregular

Agora, se simetria não é prioridade pra você, um mosaico irregular de nichos fica com bastante personalidade e não dá trabalho nenhum montar – justamente porque é irregular. Essa é uma dica bem legal de como usar os nichos de forma descolada.

Versatilidade na hora de decorar

A gente escolheu os nichos não foi à toa: eles são, hoje em dia, as peças mais versáteis para você decorar seus ambientes. Nichos na sala, para você colocar objetos de decoração; na varanda e no quintal, pra você colocar plantinhas; nichos no banheiro, para você colocar produtos de higiene pessoal, toalhas de rosto e aromatizantes; na cozinha, para utensílios do dia a dia, potinhos de tempero e o que mais você quiser deixar de fácil acesso. Viu só? Eles são as peças de decoração mais versáteis que você pode ter em sua casa, e você é a pessoa mais indicada para descobrir como usar os nichos de forma estilosa.Mas olha só: eles precisam de limpeza frequente, porque são quase “armários abertos” ou “prateleiras fechadas” 🙂 Se você gostou da ideia de encher a casa de nichos, mas já tá pensando na preguiça de tirar tudo para limpar, pede um help aí! A gente ama nichos, a gente ama tirar coisas do lugar, mudar, limpar, reorganizar. Se gostou desta última dica de como limpar a casa, então toca aí! 🙏

Já falamos aqui que o sofá é um dos lugares mais queridinhos da casa de qualquer um, certo? Se quiser conferir as dicas de limpeza de sofá que já trouxemos pra vocês, tá na mão! Apesar do papo de hoje estar relacionado a esse móvel tão importante no bem-estar da casa, o objeto escolhido dessa vez é outro: que tal uma manta para embelezar seu sofá?

Reunimos aqui 05 dicas de como usar mantas de sofá, para vários motivos: para dar um charme extra; para proteger seu móvel contra poeiras e sujeiras, combinar com seu sofá queridinho, explorar a criatividade na decoração, e o que mais você imaginar! Quer ver?

#1 – Para uma sala mais aconchegante

As mantas de sofás são objetos de decoração que cabem no seu bolso e podem, se usadas da forma correta, mudar todo o seu ambiente. Ah, e elas podem ser usadas o ano todo, e não só no inverno, como muita gente pensa. O segredo aqui é escolher mantas que combinem tanto com o seu sofá quanto com os outros objetos do ambiente, então escolha bem o tecido, as estampas e o tamanho. Se seu sofá é pequeno, é melhor escolher uma manta para o canto dele; se você um sofá bem grandão, talvez o ideal seja uma manta mais grossa, mais vistosa, e bem maior, é claro 😉

#2 – Para proteger seu cantinho favorito

Um dos principais objetivos das mantas de sofás é proteger o sofá. Elas cobrem uma grande área e acabam protegendo contra poeira, sujeira e até líquidos que podem cair sobre ele. Mas as mantas de sofás também podem ser usadas para proteger áreas desgastadas ou desfiadas do seu sofá, garantindo mais organização e cuidado para sua sala.

#3 – Para todos os tipos de sofás

As mantas de sofá podem ser feitas de diversos tecidos, como lâ, linho, pele sintética, algodão, fio acrílicos e por aí vai. E podem também ser feitas de várias cores e tamanhos, com ou sem estampas, o que garante uma versatilidade enorme para esse objeto de decoração. Tá na dúvida qual manta de sofá escolher para o sofá? Prefira um tom neutro, sem estampas – um mais basiquinho mesmo, sabe? – assim você garante que sua manta combine com qualquer objeto ou móvel que você escolher.

Agora, se você é do tipo que prefere ambientes cheio de vida e de cores, escolha uma bem colorida. Mas lembre-se que é um pouco mais difícil combinar. A dica aqui é usar sua criatividade para encontrar aquilo que vai te fazer bem 🙂

#4 – Para usar do seu jeito

O mais legal das mantas é que, por serem móveis e facilmente manipuladas, você pode usar hoje assim, amanhã do lado de lá, semana que vem do lado de cá 🙂 Mas se você está se perguntando “como eu uso a manta no meu sofá?”, vamos te ajudar. A maneira mais comum é dobrar a manta pela metade e colocá-la sobre uma parte do encosto e do assento do sofá, deixando espaço de sobra para os dois lados.

Sofá com manta no encosto

Outra forma mais despojada é deixar a manta solta no sofá, meio bagunçada mesmo, como você pode ver abaixo:

Sofá com Manta Solta e Bagunçada
Sofá com Manta Solta

Outra forma simples e funcional (porque atrapalha menos quem for usar o sofá) é deixar a manta sobre o braço do sofá, ocupando um pedaço do assento.

Manta no braço do sofá

Outra opção para quem tem chase ou sofás que podem ser abertos é deixar a manta dobrada sobre esse espaço.

Sofá com manta dobrada
Sofá com Manta

Uma forma que adoramos é deixar a manta meio jogada no canto do sofá, subindo pelo encosto lateral, só que, nesse caso, você usa outros elementos essenciais para a decoração da sala, pra dar aquele charme: as almofadas.

Sofá com manta jogada
Sofá com manta jogada

Tem muitas e muitas maneiras de usar a manta de sofá. E não certo e errado aqui, na verdade. Cuide da sua manta e do seu sofá com carinho, que temos certeza que você vai arrasar!

#5 – Para combinar com o que você quiser

Uma dica legal de como usar manta para sofás é combiná-las com algum outro elemento do ambiente. Aí, de novo, é a criatividade que manda: pode ser seu tapete, um objeto de decoração na estante, um vaso de flor ou planta, a cortina da sala, um quadro na parede. Pode ser o que você quiser! O difícil aqui vai ser só encontrar a manta do jeitinho que você quer. Para isso, indicamos uma busca online na Mobly. Opções não vão faltar, você vai ver 😉

As mantas do sofá são de grande ajuda pra gente cuidar melhor da nossa casa. E é importante mantê-las limpinhas também, assim como seu sofá. Conte com a nossa ajuda pra fazer esse trabalho pra você. Nossas Helpers vão saber encontrar a posição ideal da manta do sofá, além de garantir a limpeza da sala do jeito que você quer.