Category

Limpeza

Category

Quando aquele vaso preferido se quebra ou uma parte da madeira do armário começa a descolar, lá vamos nós buscarmos a grande aliada para os momentos de quebra-galho: a cola! O problema é saber depois como tirar cola de potes, paredes e objetos em geral.

Apesar desta dúvida, seja a versão branca, específica para madeira e outros materiais, ou mesmo aquelas supercolas que grudam até o nosso dedo se não ficarmos atentos, não existe melhor amiga na hora de consertar algo rapidinho, não é mesmo?

E, quem tem criança em casa, sabe bem que um tubo de cola pode fazer estragos pelas paredes e tecidos (o sofá que o diga!). 

Se usar a cola pode ser a salvação num momento difícil, saber como tirá-la das superfícies é praticamente o paraíso! Afinal, quem nunca quis guardar aquele pote de vidro maravilhoso ou aquela garrafa chiquérrima e se deparou com um grude horroroso assim que tirou o rótulo?

Para cada uma dessas situações há solução – e não é a mesma para todas. Por isso, vamos te ensinar agora a maneira correta de tirar a cola e realizar a limpeza de cada tipo de superfície. Vem com a gente!

Tirando a cola dos potes de vidro

Ser sustentável não é apenas uma moda passageira. Ser sustentável é ajudar o nosso planeta e as próximas gerações a terem um futuro melhor. E quando você faz questão de reaproveitar aquele pote de vidro ou aquela garrafa bem bonita que trouxe na última compra do mercado, você está sendo sustentável!

O problema começa quando você acha que é só tirar o rótulo e dar uma nova função para uma embalagem tão linda: aquela marca de cola que insiste em ficar por ali! Mas não precisa se desesperar, é só fazer algumas tentativas e logo seu vidro estará lisinho, do jeito que você queria. 

Em primeiro lugar, tente uma limpeza com água morna, deixando a peça de molho por cerca de 20 minutos. Depois, é só lavar e esperar o objeto secar. 

Se essa primeira tentativa não funcionar – e isso pode acontecer por conta do tipo de cola utilizada – chegou a hora de usamos um dos nossos grandes salvadores. O vinagre pode ser um grande aliado para determinados tipos de cola. Basta espalhar um pouco sobre a superfície, aguardar alguns minutos e depois passar uma esponja para retirar os resíduos. 

Vinagre não funcionou? Então, vamos de óleo! Passe um pouco de óleo de cozinha com a ajuda de pincel com a própria mão, aguarde alguns minutos e retire com um papel-toalha. Depois, lave a embalagem normalmente. 

Organize também: Como usar potinhos na organização da casa?

Limpando a cola das paredes

Hoje em dia é bem comum usar alguns tipos de adesivos para fixar quadros ou suportes e, quando você quer dar aquela mexida na decoração, lá está a marca da cola gritando na sua parede! 

A dica para resolver esse problema é bem simples: cole tiras de fita crepe sobre a região com resíduos, espere alguns segundos e retire rapidamente. 

Agora, se você utilizou uma fita dupla face poderosa, é provável que parte dela tenha ficado na parede. Nesse caso, existem duas alternativas para resolver o problema. A primeira é utilizar água morna com detergente neutro: passe essa mistura sobre a superfície, espere alguns minutos e veja se o material se solta facilmente. 

Se não funcionar, a outra dica é usar acetona (sim, aquela que usamos para remover esmalte). Molhe bem o algodão e umedeça a região com resíduos de cola. Assim que estiver bem úmido, você pode tentar soltar com a unha ou com a ajuda de uma espátula ou uma régua, sem “machucar” a parede. 

Organize também: Como tirar o mofo da parede? Conheça 5 dicas caseiras para acabar com ele!

 “Descolando” objetos de plástico

Quando você quiser tirar os resíduos de cola de objetos plásticos, valem os mesmos métodos que ensinamos para os potes de vidro. Ou seja: água morna, vinagre ou óleo. 

Só tenha cuidado redobrado na hora da limpeza. Se você for lavar a peça depois de aplicar algum desses procedimentos, evite as esponjas que podem riscar o plástico – que é menos resistente que o vidro e pode ficar marcado. 

Organize também: Conheça 5 tipos de bucha de pia e aprenda como fazer uma limpeza eficaz

Desgrude na madeira

A madeira exige alguns cuidados, especialmente no que diz respeito ao tipo de material aplicado sobre ela. Isso quer dizer que o vinagre e a acetona, que já ensinamos a usar anteriormente, estão descartados. Eles podem manchar a área aplicada e, aí, ao invés de um problema você vai ter dois para resolver.

Você pode tentar fazer a retirada com gelo: aplique uma ou mais pedras sobre a área e tente retirar os resíduos delicadamente, com a ajuda de uma espátula (de plástico) ou uma régua.  

Se o gelo não der certo, você pode tentar o óleo. Mas, com cuidado para não encharcar a peça, ok? Passe o suficiente para cobrir a superfície, com a ajuda de um algodão, e retire o excesso e os resíduos com um pano úmido. 

Organize também: Como fazer limpeza do chão de madeira?

Agora que você já sabe direitinho como limpar os resíduos de cola da sua casa, acompanhe outras dicas aqui do blog. São conteúdos de organização e limpeza que vão fazer a diferença na sua vida, nós garantimos! E se você ainda não conhece o UmHelp, visite a nossa página e descubra como sua rotina pode ficar mais fácil, limpa e organizada. Vem se organizar com a gente!

Quanto mais produto de limpeza melhor, certo? Errado! 

Esse pensamento que, por muitas vezes, pode guiar donos e donas de casa desesperados por misturas caseiras e receitas que acabem com seus problemas de forma fácil e barata tem potencial para trazer complicações não somente para a casa, mas também para a saúde dos próprios moradores.

Como estamos tratando de produtos químicos, é essencial relembrar a importância de utilizá-los individualmente ou misturando com muito cuidado para que suas substâncias não se combinem e se tornem algo perigoso, podendo causar intoxicações e outros problemas do tipo.

Mas, calma: não precisa se desesperar! Seguindo as recomendações coletadas pela nossa equipe a seguir, você poderá continuar com a casa limpinha e, o mais importante, com toda a segurança possível 🙂

1. Água sanitária + outros produtos de limpeza

A água sanitária é perigosa com praticamente todos os produtos de limpeza comuns, como: álcool, água oxigenada, vinagre e até mesmo o detergente! Por isso, o melhor a se fazer é utilizá-la separadamente, já que ela é um potente produto de limpeza, que auxilia na higienização de diversos ambientes, inclusive contra o novo coronavírus.

Caso contrário, você pode acabar tendo ardência nos olhos, crises de tosse e até mesmo queimaduras nas mucosas e no trato respiratório, que podem gerar asfixia. Portanto, redobe o cuidado com a água sanitária, combinado?

2. Bicarbonato de sódio + vinagre

Essa combinação pode até parecer estranha de primeira, mas se você já viu em algum filme ou até mesmo já tentou reproduzir por si próprio um vulcão entrando em erupção, saiba que os ingredientes utilizados para criar tal efeito são exatamente esses dois!

E, nesses casos, não há problema, já que existe lugar para que a espuma saia. Porém, quando essa mistura é feita em um local fechado, como dentro de um frasco, é possível que ocorra uma explosão. 

Além disso, a união desses produtos anula seus efeitos, já que o bicarbonato é uma substância básica e o vinagre ácido. Ou seja, misturando-os você acaba desperdiçando produtos ao invés de conseguir um bom resultado individualmente. Moral da história? Às vezes, menos realmente é mais 😉

3. Vinagre + água oxigenada

A mistura do vinagre com a água oxigenada resulta na produção de uma substância química chamada ácido paracético, que pode causar irritações e machucados na garganta, pulmões, olhos, nariz e pele. 

Ou seja, nada bom pode surgir dessa mistura  – apenas dores de cabeça de uma substância altamente corrosiva. Melhor evitar, não é mesmo?

4. Alvejante + vinagre

A combinação de alvejantes e vinagre, muito utilizada para remover manchas de roupas, por exemplo, também é perigosa! Essas duas substâncias podem gerar um vapor corrosivo com poder de intoxicar o organismo e queimar pulmões e pele. 

Por isso, prefira outros tipos de removedores próprios para tal fim ao invés de apostar nessa receita caseira, ok? 

Não se esqueça dos cuidados gerais

É muito importante se atentar ao máximo ao utilizar produtos químicos na limpeza. Por isso, não se esqueça de sempre ler as embalagens, o modo de uso e os possíveis perigos de cada substância existente no seu produto. Afinal, com limpeza não se brinca, não é verdade?

Além disso, se você precisar misturar a mesma substância – quando um pote está acabando, por exemplo – prefira fazer isso com produtos iguais e da mesma marca. Assim, você fica tranquilo sobre a proporção e a composição daquele produto químico, sem medo de provocar acidentes ou de tirar a função de limpeza daquela substância!

E, lembre-se: se você precisar de ajuda com a limpeza do seu lar, saiba que pode contar com a ajuda da nossa equipe  🙂 É só continuar acompanhando nosso blog para mais dicas como essas e, se for preciso uma mãozinha a mais, é só pedir um help clicando aqui que colocamos você em contato com os melhores profissionais do mercado!

Tanto em épocas mais frias como em ambientes isolados e fechados é comum que apareça o mofo, devido ao acúmulo de umidade nesses ambientes e o pouco contato com calor, como em ambientes em que não possuem contato direto com o sol, por exemplo.

O mofo se trata de microrganismos vivos, conhecidos por fungos, que estão presentes no ar e se proliferam em ambientes úmidos, causando diversos problemas respiratórios. São perigosos principalmente para pessoas que já sofrem com alguns desses problemas, como asma, rinite e sinusite. Ele também gera uma aparência desagradável nos ambientes, além do mau cheiro.

O mofo pode aparecer no teto, nas paredes e em armários, principalmente por ser um espaço que muitas vezes é pouco arejado. Por isso, o mais adequado é deixar as portas abertas pelo menos 20 minutos por dia, pois isso deixará o móvel mais arejado. 

Também é extremamente importante ficar de olho e sempre que precisar, usar produtos como o anti mofo para resolver esse problema. Pensando nisso trouxemos algumas dicas dos tipos de anti mofo, além de quando e como usar. Vem ver!

Anti mofo: o que é?

Existem várias opções de produtos anti mofo disponíveis nos supermercados, em lojas de construção e coisas para a casa. Eles podem vir em formatos diversos, como em potes, sprays e até mesmo eletrônicos.

O anti mofo é um desumidificador de ambientes, que absorve as micropartículas de água do ar, condensando-as e armazenando no próprio recipiente do produto (esse no caso do produto que vem em potes).  Ele pode ser usado em qualquer parte da casa que tenha acúmulo de mofo, como armários, gavetas, cozinha e banheiro.

O mais é importante para usar esses produtos e ter certeza de que eles serão eficazes é conferir se há cloro, formaldeído, glutaraldeido ou hidróxido de sódio na composição, pois essas são as substâncias mais eficazes para eliminar esses microrganismos.

Conheça os tipos de anti mofo

Anti mofo em pote

O anti mofo que vem em potes absorve a umidade do ambiente para dentro da embalagem. Ele pode vir em diversas versões, como sem cheiro ou com cheiro, sendo o último ideais para banheiros, por exemplo. Dessa forma, você adquire um produto com dupla utilidade: que evita o mofo e ainda deixa o ambiente mais perfumado.

Como usar?

É bem simples de utilizar o anti mofo em pote: basta abrir a tampa e retirar a proteção que vem colada, deixando apenas o filtro. Após esse processo, é só tampar novamente e colocá-lo no lugar escolhido. 

Dessa forma, ele vai absorver a umidade que estragaria suas paredes, móveis etc. e a manterá toda dentro do recipiente. E quando esse pote ficar cheio, é só trocar o refil e aproveitar a embalagem para usar novamente 🙂

Anti mofo em spray

Você pode espirrar ele em qualquer lugar onde tenha mofo. É possível utilizá-lo tanto para prevenir quanto para eliminar os fungos, o que é uma ótima vantagem desse tipo de anti mofo. E também tem opções de sprays sem cheiro e tem os perfumados também.

Como usar? 

Bem simples basta espirrar nos ambientes que são mais propícios à proliferação do mofo, como nas gavetas, armários e paredes.

Anti mofo preventivo

Também é possível encontrar em mercados a opção do anti mofo preventivo. Ele é perfeito para quem deseja prevenir os mofos em ambientes já propensos ao acúmulo de umidade, ao invés de utilizá-lo apenas quando ele já está lá. O anti mofo preventivo é incolor e pode ser aplicado em tetos, paredes e armários 🙂

Como usar?

Sua utilização é feita semelhante ao passar de tintas: basta dar a primeira demão, aguardar aproximadamente 4 horas de secagem e passar a segunda.. 

Quando usar produtos anti mofo?

É importante usar sempre o anti mofo em ambientes pouco arejados e que são mais úmidos ou mais propícios a umidade, lembrando que mesmo quando limpamos os ambientes o fungo permanece, pois quando limpamos apenas seus esporos são removidos, o que faz com que eles retornem. 

Portanto, para eliminar o mofo por completo, é necessário utilizar produtos anti mofo específicos e, se eles não forem suficientes, é essencial contar com uma limpeza especializada. Assim, você mantém seu lar livre dos mofos e mantém sua família sempre segura  😉

Esperamos que você tenha gostado das dicas! E se você precisar de uma mãozinha para te ajudar na limpeza, saiba que você pode contar com a gente: é só pedir um help clicando aqui que fazemos a ponte entre os melhores profissionais de limpeza domiciliar e o seu lar. Até mais! 

Sapatos… ah, os sapatos! Eles exigem cuidados. Saber como guardar e como prevenir o mau cheiro é uma necessidade do nosso dia a dia. Fala a verdade, quem nunca cedeu a uma promoção de botas em pleno verão que atire o primeiro salto! 

No entanto, ninguém quer pegar aquele sapato maravilhoso para sair e perceber que ele não está perfeitamente pronto para o uso, não é?

Por isso, além de saber como organizar seus queridinhos, é importante fazer isso de uma maneira que eles se mantenham limpos e sem odores até o momento em que forem escalados para completar aquele look especial. Vem descobrir como fazer isso agora!

Organize também: Por que não usar sapatos dentro de casa

Como guardar seus sapatos

Quem ama sapatos e demonstra todo esse sentimento em forma de quantidade sabe que guardá-los é sempre um dilema. Mesmo que você tenha um bom espaço (e isso nem sempre é possível), parece que sempre falta lugar para colocar aquele par novo em folha que acabou de chegar. 

Investir em uma sapateira é essencial para manter a organização. Pode ser aquelas de madeira, de aramado, feitas com móveis modulares, ou até mesmo uma que se pendura atrás da porta. Confira alguns exemplos:

Isso porque, deixar o sapato dentro da caixa nunca é o mais indicado, já que esse ambiente fechado pode facilitar a proliferação de fungos e bactérias – que vão dar mau cheiro e até facilitar a aparição de mofos em seus amados. 

Caixas estão proibidas mesmo?

Está bem: existe um tipo de caixa que você pode usar! Só prometa que não vai cair na tentação de manter o seu par guardado na caixa original, de papelão. É que esse tipo de confinamento vai deixar o sapato sem ar e esse é um dos motivos pelos quais o mau cheiro pode se instalar ali e não sair nunca mais!

Caixas de plásticos, próprias para calçados, com aberturas de ventilação estão permitidas. Isso também vai ajudara manter seus sapatos livres de mofos e retardar o aparecimento de rachaduras no material (que podem acontecer por ressecamento).

Rotina de limpeza contra o mau cheiro nos sapatos

Mesmo que você não use sempre aquele par mais chique ou que as botas só saiam de casa quando está mais frio, manter uma rotina de limpeza é essencial. 

Para os sapatos de uso constante, a higienização precisa ser diária. Neste momento, então, nem precisamos reforçar os cuidados com os calçados que vão para a rua… Mas, vamos reforçar mesmo assim: deixe-os do lado de fora de casa e depois faça uma limpeza completa, inclusive e principalmente no solado. 

Já com aqueles que são usados em semanas alternadas ou apenas em ocasiões especiais, a dica é limpá-los antes de guardar na sapateira. Nunca guarde sapatos sujos no armário, combinado? Isso pode deixá-los com marcas e, pior, com o mau cheiro que você não quer de jeito nenhum. 

E como eu limpo e organizo todos os meus sapatos?

Vamos por partes, saltolover! Com relação à organização, já falamos sobre a importância de ter um espaço dedicado, conforme sua possibilidade, e abusar da criatividade em sapateiras, prateleiras & afins. 

Como falamos também, a necessidade de mantê-los sempre limpos é vital! E, aqui vai uma dica pra não esquecer: antes de sair passando buchinha e sabão em tudo, conheça os materiais de que seus sapatos são feitos. Isso porque, se você limpar com o produto errado, o temido mau-cheiro pode aparecer – além de manchas e outros problemas que você não quer, certo?

Camurça, couro, plástico, sintéticos… seja qual for o material e como você irá aprender a limpar cada um deles, nunca, em hipótese nenhuma, guarde seus sapatos molhados. Esse é outro ímã para mofo, mau cheiro e deterioração dos seus preciosos. 

Para quem tem muitos pares (levanta a mão quem se identifica!) e às vezes leva tempo para usar um ou outro modelo, vale uma dica bacana de organização: eles podem ficar em caixas, com respiro, e receber etiquetas de identificação. 

Isso é bastante útil no caso dos sapatos de inverno, como botas ou mocassins mais pesados. Como são usados quando o clima esfria, não precisam estar à vista o ano todo. Se estiverem armazenados da maneira correta, com ventilação, poderão esperar até a próxima temporada para irem à luta. 

Organize também: Quais produtos devo usar para lavar roupa?

Quem ama sapatos sabe que eles são a cereja do bolo de qualquer look. E ninguém quer saber de cereja cheirando mau, né? Se você gostou dessas dicas, vai se apaixonar pelos nossos conteúdos de organização e limpeza aqui do blog. Aproveite para conhecer a UmHelp e descubra como deixar sua casa limpa do jeito que você ama! 

Um revestimento pode fazer toda diferença no ambiente, como trazer um ar mais moderno, retrô e rústico, por exemplo. São diversas opções para criar um charme no ambiente transformando-o em um espaço único.

É importante escolher o material adequado, por exemplo, se a parte que for revestida tiver contato com água, como um box no banheiro, vai ser importante se certificar de usar um revestimento que poderá ter contato direto com umidade. 

Para os revestimentos da cozinha e banheiro é preciso priorizar a praticidade, a durabilidade e a facilidade de limpar, principalmente, visto que esses são ambientes de maior movimento e acúmulo de sujeira.

É bom lembrar que para garantir a segurança é importante usar também revestimentos que são antiderrapantes.

Pensando nesses detalhes, que muitas vezes são esquecidos, trouxemos uma lista com algumas opções para te ajudar a escolher. Assim fica mais fácil escolher o mais prático, mais bonito e que cabe no orçamento 🙂

Tipos de revestimentos

O revestimento precisa ser escolhido de acordo com o estilo da decoração do ambiente, para que fique tudo bem harmônico.

Há diversos modelos, em diversas cores e formas, como os azulejos, as pastilhas, o porcelanato, mármore, entre outros.

Hoje também encontramos no mercado opções de adesivos que imitam esses modelos para quem gosta de estar sempre mudando e não quer gastar muito.

Com tantas opções disponíveis fica meio difícil saber qual a melhor opção para sua cozinha, por isso listamos 6 opções para você conhecer melhor e saber os cuidados com cada um:

Azulejos 

Uma opção muito usada são os azulejos, podem ser usados em pisos, paredes e podem ser usados tanto em banheiros como em cozinhas, pois funciona muito bem em diversos ambientes pela sua praticidade. Há uma ampla variedade de cores e tamanhos, tem um ótimo custo benefício, é extremamente fácil de cuidar visto que pode ter contato direto com água.

Limpeza: azulejos tendem a ficar com aspecto encardido principalmente as cores claras por isso uma boa dica é usar uma mistura de água, detergente e vinagre branco. Esfregue em movimentos circulares com uma esponja, limpe com um pano úmido e depois com um pano seco.

Porcelanato

O porcelanato é um tipo de revestimento cerâmico e é uma ótima opção de revestimento para cozinhas e banheiros, ele absorve menos água do que uma parede comum e tem alta resistência à abrasão física e química.

Tem diversas opções e é muito resistente a manchas e riscos. É perfeito para quem busca um ambiente mais sofisticado. 

Você pode usar tanto nas paredes quanto no piso, mas é importante equilibrar para que os ambientes não fiquem carregados se caso as cores escolhidas forem diferentes ou mais escuras.

Limpeza: utilize detergente ou sabão neutro e água, varra o piso com uma vassoura de cerdas macias para não arranhar, passe um pano de chão molhado e seque o piso com um pano seco para que não fiquem manchas. Se for limpar a parede use também um sabão neutro e água.

Pastilhas

Uma boa opção para trazer um ar moderno é as pastilhas que podem ser encontradas de diversos tipos de materiais: cerâmica, vidro, metal, mármore e muito mais.

Porém, uma desvantagem é o preço alto delas mas você pode optar por utilizá-las em pequenas partes apenas para dar uma cor a um ambiente neutro.

Elas são perfeitas para espaços pequenos pois elas dão sensação de amplitude.

Limpeza: a limpeza não precisa ser tão profunda, pois as pastilhas não absorvem água com facilidade. Você pode usar um pano comum ou flanela. Além disso, a água deve ser morna para ajudar a remover a gordura grudada.

Mármore 

O revestimento em mármore deixa o ambiente sofisticado e iluminado, mas é um investimento alto comparado a outros. Pode ser utilizado nas paredes, no piso ou em bancadas. Tem diversos tipos e é super resistente, não desgasta com facilidade. 

Limpeza: o mármore deve ser limpo com um pano umedecido com água e detergente, sabão neutro ou sabão de coco. Após esse procedimento, passe um pano molhado com água e termine secando o piso com um pano macio.

Ladrilho Hidráulico

Os ladrilhos são ótimas opções para dar um charme e personalidade para o espaço por ser bem marcante e ficam melhor em bancadas e paredes do box do banheiro por isso. 

Por ser artesanal o custo dele é mais elevado.

Limpeza: os ladrilhos hidráulicos são limpos com fricção ou abrasão, e não com produtos químicos. Lave os ladrilhos sempre com água e sabão neutro usando uma vassoura ou escova.

Cimento queimado

O cimento queimado é muito versátil e dá um aspecto moderno que combina com todos os estilos de decoração. Por usar apenas alguns materiais como argamassa, cimento, areia e água ele não é caro, então é um ótimo revestimento para quem quer estilo na decoração gastando pouco.

Limpeza: o ideal para manter o piso de cimento queimado limpo, é remover as sujeiras, como pó e areia, usando vassoura ou aspirador de pó. E na hora de lavá-lo, utilizar detergente neutro, água morna, pano limpo ou uma escova de limpeza.

Bônus: 

Tinta Epóxi

Se sua intenção é fazer uma mudança rápida, como trocar as cores dos azulejos ou pisos já existentes do seu banheiro ou cozinha uma boa opção são as tintas epóxi.

Algumas de suas vantagens são a durabilidade, a praticidade na limpeza e a impermeabilidade.

Limpeza: a limpeza de azulejos de cozinhas pintados com tinta epóxi deve ser feita com esponja macia e sabão neutro e tome cuidado com produtos abrasivos pois eles podem remover a tinta. 

E aí já sabe qual vai ser o escolhido para revestir seu banheiro e cozinha? Esperamos que nosso post te ajude nessa missão. Fique de olho no blog da UmHelp! Estamos sempre postando dicas para você. Até breve <3

Quem nunca olhou para a penteadeira toda bagunçada e prometeu a si mesma que daria um jeito naquilo no próximo final de semana que atire o primeiro pincel! Não tem jeito… a correria do dia a dia não deixa espaço pra gente finalmente conseguir limpar e organizar a penteadeira do jeito que queríamos, não é mesmo?

Mas, com as dicas que vamos passar agora, você vai tirar rapidinho essa pendência da sua lista de tarefas. E, o melhor, irá aprender a deixar sua penteadeira sempre em ordem, com maquiagens e assessórios fáceis de encontrar e nunca mais vai se perder na bagunça. Quer saber como? Continue lendo para saber!

Organize também: Como organizar seu armário em 5 passos

Para começar: o que você mais usa?

O primeiro passo para você deixar sua penteadeira mais organizada é identificar, entre os itens que ficam à vista, quais são aqueles que você realmente usa com mais frequência. A maquiagem do dia a dia, os pincéis e os acessórios que você costuma colocar todos os dias (como relógio, anéis ou pulseiras).

Não esqueça também de reservar um espaço para os produtos demaquilantes ou de limpeza da pele e também o protetor solar e o desodorante. Se você não quiser colocar tudo em cima da penteadeira, reserve a primeira gaveta do seu móvel para isso. 

Caixas e porta-trecos: grandes aliados

Na hora de organizar sua penteadeira, não deixe de contar com os maiores e melhores truques de arrumação de todos os tempos: as caixas e os organizadores, também conhecidos como porta-trecos. 

As maletas de maquiagem  também são maravilhosas para ajudar você a separar seus itens por categoria! Em cada separação, você pode agrupar os produtos referentes às áreas específicas da maquiagem, como pele, olhos, boca… assim, você vai direto ao ponto quando precisar usar uma base, sombra ou batom.

A dica de ouro aqui é: sempre que for usar esses produtos, guarde-os exatamente no lugar de onde os tirou. Combinado?

Pincéis & cia, tudo bem organizado

Fonte

Uma penteadeira que se preze tem sempre uma boa coleção de pincéis ali pertinho do espelho. Como eles são frágeis e precisam de “respiro”, não os guarde nas caixas de maquiagem, nunca. 

Colocá-los em um copo de vidro bem estiloso ou em uma linda caneca de cerâmica pode dar um toque vintage e fashion à sua penteadeira. Você também tem a opção de comprar um porta-pincéis, encontrado facilmente em lojas de utilidades. Seja qual for a sua escolha, o importante é deixá-los sempre à mão e livres para tomar o ar de que precisam. 

Aqui vai mais uma dica importante: lave periodicamente seus pincéis! Como eles sempre estão em contato direto com a sua pele, é importante realizar a manutenção desse acessório tão importante para a maquiagem. 

Você pode usar um shampoo de PH neutro ou mesmo o infantil para realizar essa limpeza. Depois, é só deixar secando no sol e verá como eles estarão novinhos em folha. 

Organize também: Como tirar pó de móveis e objetos

Luz, muita luz!

Esse é o seu cantinho de beleza, certo? E não tem nada mais complicado do que tentar se arrumar sem iluminação. Se a sua prateleira não tem uma fonte de luz própria, aposte em um abajur ou em uma luminária ao seu lado. 

Essa será a melhor maneira de otimizar o seu cantinho e evitar ter que ir a outros lugares – como o banheiro – para conferir se a sua maquiagem não está muito carregada ou muito leve. 

Agora que você aprendeu a deixar sua penteadeira limpa e organizada, que tal dar aquele trato na sua casa? Já que o tempo nem sempre está a nosso favor, a UmHelp te dá uma força para encontrar a ajuda que você precisa para deixar seu lar ainda mais em ordem. Venha conhecer nosso aplicativo e peça UmHelp!

Sabia que a esponja que você usa para lavar a louça é o item mais sujo da sua casa? Sim, ela ganha do tão temido vaso sanitário com até 200 vezes mais germes, segundo o especialista Roberto Martins, mais conhecido como Dr. Bactéria. 

Isso porque, apesar de serem fiéis ajudantes da limpeza do dia a dia, elas também são o ambiente perfeito para que microorganismos perigosos se proliferem. Alguns deles, inclusive, são possíveis causadores de intoxicações alimentares, vômitos e diarreias.

Sabendo disso, é imprescindível conhecer mais sobre seus cuidados, esses que são específicos para cada tipo e finalidade da esponja, a fim de evitar possíveis problemas causados por elas. Vamos lá? 🙂

Principais tipos de esponjas 

1. Esponja multiuso

A mais comum delas, a esponja multiuso é a famosa dupla ação, que serve tanto para limpezas de peças mais delicadas quanto a de sujeiras mais difíceis de serem removidas. Pode ser utilizada para limpar louças em geral, como pratos, talheres e copos.

2. Esponja não risca 

Geralmente feitas em cor azul, essas esponjas são ideais para a limpeza de superfícies delicadas, como panelas antiaderentes e superfícies delicadas, como vidros, inox, superfícies polidas, entre outros.

3. Esponja prateada

A esponja prateada é produzida com poliéster e poliuretano, materiais que aumentam a durabilidade e, ao mesmo tempo, a delicadeza dessas esponjas. Elas podem ser utilizadas em superfícies antiaderentes, louças e cristais, por exemplo. 

4. Lã de aço

Indicada para limpezas pesadas, a lã ou palha de aço é uma boa opção para remover gorduras impregnadas no fundo de panelas e para a limpeza de grelhas, por exemplo. Por ser feita de aço, é importante tomar cuidado para não riscar e estragar itens mais sensíveis com sua utilização, como itens feitos de aço inox ou com camadas de teflon.

5. Esponja vegetal

Uma opção natural e sustentável, as esponjas ou buchas vegetais são ótimas aliadas da cozinha, já que possuem o mesmo poder de limpeza das esponjas sintéticas com a vantagem de não riscar ou danificar a louça, além de terem maior durabilidade e ajudarem a preservar o meio ambiente. Elas podem ser plantadas ou compradas em mercados.

Cuidados com esponjas e buchas de pia

Agora que você já conhece as opções mais utilizadas para a limpeza diária das vasilhas e pia, é importante lembrar que, independentemente do tipo que você estiver utilizando, é imprescindível trocá-las toda semana, além de desinfetar com água fervente todos os dias. Assim, você evita que germes se reproduzam e façam a festa na sua cozinha 😉

Faça higienizações diárias

Para a higienização do dia a dia, é possível utilizar alguns métodos recomendados pelo Dr Bactéria, como:

  1. Lavar a esponja e deixá-la submersa em água fervente por 3 minutos;
  2. Lavar a esponja e levá-la ao microondas, embrulhada em papel toalha, por aproximadamente 1,5 minutos;
  3. Deixar a esponja por 10 minutos em uma solução de água sanitária com água (duas colheres de sopa para 1L, respectivamente).

Mantenha-as sempre secas

A umidade é um dos maiores atrativos para a proliferação de germes e bactérias. Por isso, após utilizar suas esponjas, não esqueça de enxaguar em água corrente até sair toda a espuma, torcer bem e deixar em local arejado para secar, ok? 🙂

Use uma para cada local

Evite utilizar a mesma esponja para limpar locais diferentes, mesmo se eles forem dentro da cozinha. Cada espaço possui seus germes específicos e utilizar apenas uma esponja para todos eles pode aumentar o risco de contaminação a troca de germes e bactérias. 

O que achou das nossas dicas de limpeza das tão utilizadas esponjas de pia? Não se esqueça de colocá-las em prática para preservar suas louças e sua saúde 😉

O mofo é um tipo de fungo muito comum em casas, que se desenvolve pela formação de esporos que ficam no ar. Ambientes quentes e úmidos são ideais para a proliferação do mofo e, por isso, banheiros, paredes e móveis podem se tornar um alvo fácil desse inimigo de todo dono de casa.

Eles podem surgir por alguns motivos: excesso de umidade, estouro de algum cano e outras infiltrações em geral. Ao identificar a existência de mofo na sua parede, é importante agir rapidamente para combatê-lo, já que além de estragar a estrutura da sua casa, esse fungo pode apresentar riscos à saúde.

Seus esporos podem prejudicar nosso aparelho respiratório, contribuindo com o desenvolvimento ou agravamento de doenças como a rinite, sinusite e asma alérgicas. Além disso, o mofo emite uma substância tóxica chamada biotoxina, que pode atacar fígado e rins dos que convivem no ambiente com o bolor.

Como reconhecer se é mofo ou sujeira?

Para ter certeza que você está lidando com mofo e não apenas com sujeira, faça um teste rápido: aplique um pouco de alvejante nas manchas e aguarde alguns minutos. Se elas começarem a clarear, bingo! Você está diante de uma proliferação de fungos. 

Se ainda ficar em dúvida, considere que o mofo também possui um cheiro  desagradável e pode variar de coloração, de pontos pretos a azuis ou esverdeados e até mesmo vermelhos.

A localização das manchas também é um forte indício, já que ambientes úmidos e com pouca circulação de ar são mais propícios para a proliferação do bolor. Ele pode aparecer também nos rejuntes de azulejos como manchas escuras e também em rachaduras, não se limitando às paredes lisas.

5 receitas caseiras para eliminar o mofo da parede

Remover mofo da parede

Existem alguns métodos para fazer a remoção do mofo nas paredes, e você pode escolher qual será a melhor solução para o seu problema em específico. Independentemente de como você decidir se livrar desse problema e manter a casa limpa, é essencial lembrar de se proteger adequadamente, ok?

Use proteção para os olhos e luvas e não se esqueça de manter o ambiente bem arejado antes de começar. 🙂

1. Água sanitária

A água sanitária é um dos produtos mais comuns para a remoção do mofo. Utilizando um balde, faça uma mistura de ⅓ de água sanitária para uma parte de água. Use uma esponja ou escova para aplicar a solução e esfregá-la nos pontos mofados da parede. Por fim, enxague com um pano úmido e seque bem para retirar o máximo de umidade. Assim você previne que o bolor retorne! 

2. Água oxigenada

A água oxigenada também é um produto bastante eficaz contra o bolor, por ter propriedades antibacterianas e clareadoras. Para utilizá-la, basta aplicar o produto diretamente nos pontos mofados da sua parede e deixar agir por 15 minutos. Esfregue com uma esponja ou escova até que todas as manchas tenham sido removidas. 

3. Álcool

Tanto a versão em gel quanto líquida podem ser usadas para remover o mofo das paredes. O processo é semelhante aos outros: aplique na parede diretamente, deixe agir por 10 minutos e esfregue com esponja ou escova até sair. Ah, e não se esqueça de secar bem!

4. Vinagre + sal + bicarbonato de sódio 

Essa mistura age como um amolecedor do mofo, facilitando sua retirada de forma segura e sem cheiros fortes, como o da água sanitária. Para fazê-la, misture 1 litro de vinagre com 3 colheres de sopa de sal e, aos poucos, vá misturando 4 colheres de sopa de bicarbonato de sódio. Insira a solução pronta em um borrifador, aplique na parede, deixe por algumas horas e esfregue até o bolor sair. 

5. Óleo de melaleuca

O óleo de melaleuca é excelente na remoção de fungos, bactérias e vírus e pode ser um forte aliado na remoção do bolor. Ele não causa nenhum mal a adultos, mas pode ser irritante para crianças e animais, portanto, fique atento ao utilizá-lo. 

Misture uma colher de chá de óleo de melaleuca em um copo d’água, insira em um borrifador e aplique nas paredes. Deixe descansando durante a noite e, no dia seguinte, aplique vinagre em um pano para esfregar e remover os fungos até a área ficar completamente limpa.

Como evitar o retorno do mofo?

Agora que você já sabe como eliminar o mofo das paredes de casa, é essencial manter o ambiente limpo para que o bolor não retorne e cause mais problemas à estrutura da casa ou à saúde dos moradores, não é mesmo? 

Como você já percebeu, a melhor maneira de evitar com que ele retorne é mantendo os ambientes sempre arejados e secos. No caso de banheiros, que são ambientes naturalmente mais úmidos, invista numa boa ventilação (como com uma janela maior, por exemplo). Não se esqueça de consertar os vazamentos e infiltrações e, caso o mofo continue retornando, talvez seja o caso de instalar um desumidificador elétrico em áreas críticas.

E se você precisar de ajuda para remover o mofo ou manter sua casa sempre limpa e livre de fungos e sujeiras, saiba que você pode contar com a gente! É só pedir um help clicando aqui que fazemos a ponte entre os melhores profissionais de limpeza domiciliar e o seu lar. Curtiu o post? Então compartilhe com seus amigos! 🙂

Tem quem ache a faxina terapêutica e tem que tenha pesadelos quando sua data se aproxima. Porém, independentemente do seu sentimento sobre essa tarefa doméstica, a verdade é que não é possível fugir por muito tempo. Afinal, não existe nada melhor do que ter uma casa limpinha para chamar de sua, não é mesmo?

Mas se você é do time que não gosta de fazer muitos esforços como o de varrer o chão, não se desespere! Você não está sozinho nessa. A faxina é inevitável, mas pode se tornar mais prazerosa e ágil. E se você está se perguntando como, lá vai a resposta: é só fazer uso de formas mais rápidas e práticas para deixar tudo limpinho e arrumado. E estamos aqui para te ajudar nessa missão!

Varrer ou não varrer?

Pessoa varrendo o chão

Existem dezenas de tipos de pisos, desde os mais clássicos até os mais modernos. Cada um deles possui suas peculiaridades, mas uma regra é válida para todos: a boa limpeza! 

O piso é uma das partes mais suscetíveis ao acúmulo de sujeira dentro de casa, principalmente se você não é adepto do costume de tirar os sapatos antes de entrar. Dessa forma, ele se torna uma superfície com acúmulo não só de poeira e sujeira, mas de germes que podem fazer mal para a saúde dos moradores, como vírus e bactérias. 

Por isso, o primeiro passo para uma boa limpeza é tirar o “grosso” da sujeira, como farelos, pelos etc. Para essa etapa, você pode muito bem utilizar a vassoura, que é silenciosa e econômica, mas que exige mais esforço físico. Uma pesquisa feita pela Wegho mostrou que 71% das pessoas preferem o aspirador para essa etapa, e se você se encaixa nessa estatística, saiba que o aspirador também faz um ótimo trabalho 😉

Quais são as outras opções?

Aspirador de pó

Como falamos anteriormente, o aspirador de pó pode ser um forte aliado para quem quer deixar a vassoura de lado. Isso porque eles removem as sujeiras com facilidade e sem muito esforço, diferente das vassouras comuns. Eles também possuem diferentes bicos que permitem alcançar espaços menores, além de serem fortes aliados dos carpetes, tapetes e sofás.

Por outro lado, eles costumam ser mais sensíveis do que as vassouras, que permitem varrer qualquer pavimentação, como passeios, canteiros e quintais, sem se preocupar com a dificuldade de contornar obstáculos. Além disso, por ser um item tecnológico, seu investimento é significativamente maior do que o de uma vassoura comum.

Confira 5 dos modelos de aspiradores queridinhos da internet em 2020:

1. Electrolux GT3000 Pro

Aspirador Electrolux

2. Philco PH Rapid 1100 N2

Aspirador Philco

3. Britânia Dust Off

Aspirador Britânia

4. Electrolux Smart ABS02 1200W

Aspirador Electrolux

5. Mondial Turbo Hepa AP-15

Aspirador Mondial

Robô aspirador

Pessoa ligando o robô aspirador

Essa evolução dos aspiradores comuns está no topo da lista de desejos de muitos entusiastas da tecnologia. Mas você sabe por que os robôs aspiradores são tão desejados? 

Considerados como itens de luxo, eles são máquinas bastante inteligentes, dotadas de sensores que mapeiam o ambiente e limpam sozinhos, poupando tempo e mobilidade humana na hora da faxina. Eles podem ser programados para datas específicas, sendo uma mão na roda para os alérgicos que preferem não estar em casa enquanto o robô estiver em ação. 

Os robôs aspiradores criam rotam estratégicas para uma limpeza mais funcional, porém, não são tão eficazes em ambientes com declives ou com tapetes/carpetes altos, por exemplo. Por isso, sua recomendação é para superfícies duras e planas, como pisos. 

Seus preços variam bastante de acordo com o nível de tecnologia implementados em seu sistema. Confira alguns deles:

1. Aspirador de Pó Robô Xiaomi Roborock S50

Robô aspirador Xiaomi

2. Aspirador de Pó Robô Polishop Housekeeper Pro

Robô aspirador Polishop

3. Aspirador de Pó Robô Multilaser HO041

Robô aspirador Multilaser

4. Aspirador de Pó Robô Wap Robot W300

Robô aspirador Wap

5. Aspirador de Pó Samsung Robot

Robô aspirador Samsung

Esfregão

Esfregar o chão após a limpeza

A segunda fase da limpeza pode ser feita com um pano e um rodo comum ou com um esfregão, por exemplo. O importante é utilizar a água para eliminar o restante da poeira que, muitas vezes, não conseguimos enxergar, mas ainda está ali! 

O uso da água e dos produtos químicos nessa etapa devem ser feitos com cautela em determinados pisos, pois eles podem acabar causando manchas e danificando seu piso.

Por exemplo, pisos de madeira devem receber pouca água, pois são mais suscetíveis a manchas. Os pisos de cerâmica, por outro lado, são resistentes à água, mas podem criar fissuras e perder o brilho com determinados produtos de limpeza mais concentrados. 

MOP

Assim como os robôs são a evolução dos aspiradores, o MOP é a dos esfregões! Ele é uma novidade que está fazendo a cabeça dos donos de casa por toda a internet. 

Seus modelos mais completos vêm com balde e servem tanto de rodo como de pano de chão. Ele substitui os esfregões comuns e te ajuda a limpar todo o piso da sua casa, esfregando, lavando e secando o chão com apenas um produto. Demais, não é?

Assim como o aspirador, existem diversos modelos de MOP que se adequam melhor a cada tipo de piso. Mas, independentemente do tipo de MOP que você escolher, a certeza é que você irá conseguir limpar sua casa bem mais rápido com ele do que com a vassoura, e ainda não terá que lidar com as dores na coluna ou nos joelhos 😉

E se você gostou de descobrir novas opções para limpar seu piso, vai ficar mais feliz ainda de saber que você não precisa fazer esse trabalho sozinho! Se quiser aposentar da carreira de dono(a) de casa, é só pedir um help que fazemos a limpeza pra você! É só clicar aqui e agendar sua limpeza 🙂

Que atire a primeira pedra o dono de carro que nunca deixou acumular garrafinhas d’água, embalagens plásticas, papeis e até mesmo roupas dentro do seu, não é mesmo? 

Assim como nossas casas, os carros também precisam de atenção especial para se manterem sempre limpos e agradáveis. A correria do dia a dia pode contribuir para que a sujeira se acumule, tornando ainda mais essencial manter uma higienização interna para prevenir doenças, eliminar odores e preservar seu veículo. 

Porém, é preciso ter muito cuidado ao fazer essa limpeza, já que carros têm texturas variadas e itens elétricos que exigem atenção especial. Sabendo disso, unimos o conhecimento da nossa equipe de especialistas em limpeza e criamos um passo a passo imperdível para você não errar mais ao higienizar seu carro! Vamos lá?

Passo a passo: como fazer a limpeza interna do meu carro?

1. Esvazie o carro

O primeiro passo para deixar seu carro limpo é esvaziá-lo, retirando todo o lixo acumulado, tanto o da lixeira quanto os que acabam ficando espalhados pelos bancos, como garrafas, flyers, embalagens plásticas, jornais e outros. 

É importante retirar todos os itens para ter uma visualização mais ampla do espaço, além de conseguir higienizar todos os cantos do carro. Dessa forma, depois de esvaziá-lo, faça uma curadoria dos itens a serem descartados e separe o que irá voltar para o carro após a limpeza, como carregadores, jaquetas, cadeirinhas infantis e outros itens essenciais. 

2. Lave os tapetes 

Os tapetes dos carros costumam ser removíveis justamente para facilitar a higienização e a troca. Se os seus forem de plástico ou de borracha, lave com água e sabão e deixe secar antes de recolocá-los no lugar. Uma mangueira pode ajudar na limpeza, pois a pressão ajuda a remover a sujeira. 

Se eles forem de tecido, retire o pó com uma vassoura ou aspirador de pó, passe uma esponja úmida com água e detergente neutro, finalize com um pano úmido e deixe secar. 

3. Limpe o teto 

Passe um pano seco para retirar o pó e, em seguida, utilize uma esponja úmida com água e detergente. Finalize com um pano úmido e deixe secar. 

4. Higienize o estofado

O estofamento do carro exige mais cuidados, principalmente por absorver rápido a água e levá-la até a espuma, o que dificulta sua secagem e pode gerar mofo no estofado. Para evitar problemas, comece limpando com um aspirador de pó e depois passe a esponja úmida com água e detergente ou com uma solução própria para limpar estofados de carros. Finalize com um pano úmido apenas com água e deixe secar. 

Se o seu estofado for de couro escuro, apenas um pano seco e macio uma vez por semana é suficiente. No caso de couros claros, que deixam a sujeira mais à mostra, a limpeza com um pano úmido e detergente pode ser necessária. Porém, independentemente da cor, não se esqueça de hidratá-los uma vez por ano para manter o brilho!

Uma dica importante para a limpeza do estofado é fazer um teste em uma pequena área para ver como irá ficar antes de limpá-lo completamente. Assim você evita estragar seu estofado com produtos abrasivos ou com muita água. 

5. Limpe os vidros

Utilize um limpa-vidros com um pano seco para retirar a sujeira e gordura dos vidros, tanto na parte interna quanto externa. 

6. Higienize o interior em geral

Para terminar sua limpeza interna, passe aspirador de pó no assoalho e em compartimentos como porta-luvas e porta-copos. Passe apenas um pano nas partes elétricas, como no painel, pois a água pode danificá-las permanentemente.  

7. Deixe secar

Agora que o interior do seu carro está limpo, é hora de deixá-lo secar bem! Assim, você evita o surgimento de mofo e retira o odor desagradável. Você também pode utilizar um aromatizante para manter o cheiro de limpo por mais tempo 😉

O que achou das nossas dicas de limpeza de carros? Se gostou, não esqueça de acompanhar nossas publicações para aprender tudo sobre limpeza! E se você precisar de uma ajudinha com sua casa, é só pedir um help que vamos até você. Clique aqui e fale com nossos especialistas!