Tag

cozinha

Browsing

A cozinha é um dos ambientes mais visitados de toda casa e, por esse motivo, também costuma ser um dos cômodos mais propícios à desorganização. Isso acontece por uma série de fatores, sendo o mais comum deles a dificuldade de organizar muitos itens em espaços reduzidos, como cozinhas de apartamentos pequenos.

Porém, não são só em pequenas moradias que o ambiente da cozinha pode ser tornar uma verdadeira confusão. Afinal, como este é um espaço com constante movimentação de pessoas, seus objetos podem acabar se espalhando e acumulando se não houver uma constante limpeza e arrumação, até mesmo em ambientes maiores.

Mas o importante é saber que existem alguns itens estratégicos que auxiliam na organização sua cozinha, de forma a otimizar esse espaço e torná-lo cada vez mais funcional, seja ele grande, pequeno, com muitos objetos ou não. Quer conhecê-los? Então veja nossas 5 dicas a seguir!

Ganchos para guardar canecas, copos, talheres

O espaço limitado pode tornar a organização um pouco mais complexa, porém, não impossível. E como espaços pequenos estão se mostrando cada vez mais comuns, principalmente nas grandes cidades, existem diversas alternativas no mercado para ajudar a driblar esse problema. 

Uma dessas alternativas são os ganchos para talheres e copos, por exemplo. Confira: 

Os ganchos são ótimos aliados das cozinhas organizadas, dando um toque de modernidade e estilo no cômodo. É possível encontrá-los nos mais diversos estilos, materiais e tamanhos. 😉

Aramados para organizar tampas, panelas, pratos 

Os aramados – itens com nome autoexplicativo – são peças feitas de arame utilizadas tanto como item decorativo quanto para tornar os ambientes mais funcionais. Ou seja, além de serem objetos bonitos, eles ajudam a organizar sua casa e muita vezes podem ser feitos especificamente para encaixar em locais estratégicos. Perfeito, não é mesmo?

Por exemplo, na cozinha, é possível utilizar aramados para organizar tampas de panelas, pratos, copos e o que mais você quiser, seja dentro dos armários, na parede ou até mesmo em gavetas aramadas. Veja alguns exemplos para se inspirar:

Funcionais e discretos, os aramados são uma ótima pedida para quem quer utilizar espaços geralmente vagos, como portas de armários e paredes.

Prateleiras para acomodar temperos, alimentos, louças

As prateleiras, sejam elas móveis ou fixas, também são ótimas aliadas na organização das cozinhas. Você pode instalá-las em cantos que normalmente não seriam utilizados, além de combiná-las com os outros itens de organização, como os ganchos e aramados que já citamos. Por exemplo:

Placas perfuradas para dispor utensílios cheios de estilo 

As famosas pegboards ou placas perfuradas podem ser utilizadas para pendurar os mais diversos itens da sua cozinha, como frigideiras, colheres, espátulas, tesouras e muito mais. Elas são um item decorativo descontraído que adicionam personalidade e estilo na casa, seja na cozinha ou em outros cômodos, e são ótimas para guardar itens que estão em constante utilização. 

Uma boa dica é aproveitar a exibição que as pegboards permitem para colocar à mostra seus utensílios mais bonitos 🙂 Se inspire com as imagens:

Divisórias de gavetas para organizar o que fica guardado

Mas, ao contrário das pegboards, nem tudo precisa ficar à mostra, não é verdade? Por isso, utilizar divisórias de gavetas é uma ótima maneira de manter a organização daqueles itens que não são tão utilizados ou que são mais delicados e, por isso, podem ficar guardados em gavetas e armários. 

As divisórias também são ótimas para separar alimentos, seja em gavetas de armários ou, até mesmo, dentro da geladeira. 😉

O que achou das nossas dicas de organização de cozinha? Se você já está um pouco mais inspirado para começar a colocar tudo no seu devido lugar, não se esqueça de continuar acompanhando nosso blog para se tornar um expert em organização! <3 

Os rejuntes da sua casa estão acumulando sujeira e mudando de cor? É normal que o acúmulo de poeira, sujeira e gordura acabem alterando sua coloração em ambientes como cozinha, banheiro e quarto, por exemplo. Mas, sim, é possível deixá-los branquinhos novamente!

Independentemente do ambiente em que eles estejam, uma coisa é certa: rejuntes com aparência de novo dão um charme no ambiente e ajudam a passar a impressão de casa sempre limpa. Mas você sabe como limpar corretamente os rejuntes da sua casa para dar aquele aspecto brilhante e de recém feitos? 

Continue a leitura para saber mais sobre eles e sua limpeza:

Conheça os tipos de rejunte mais comuns

Epóxi

É a opção de rejunte mais resistente e durável do mercado. São ideais para áreas que entram em contato com água, como piscinas, saunas e banheiros, por exemplo.

O epóxi é resistente a manchas, fungos e algas, além de ser muito impermeável. Porém, mesmo com suas diversas vantagens, é importante ressaltar que sua aplicação é um pouco mais complexa do que as outras e deve ser feita por uma pessoa experiente.

Cimentício

O rejunte cimentício é o rejunte mais popular do mercado, isso devido ao seu baixo preço e fácil aplicação. Ele possui uma ampla gama de possíveis aditivos adicionados, o que faz com que existam opções para diversas áreas, tanto secas quanto molhadas. 

Sua limpeza pode ser um pouco mais difícil do que a de outros rejuntes, já que ele costuma acumular mais sujeira com o passar do tempo. Por ter muitos variantes, é importante ficar atento ao seu tipo antes de comprá-lo pra não errar, ok? 

Acrílico 

Com uma aplicação mais simples e segura do que ao epóxi, o rejunte em acrílico dá um acabamento liso e homogêneo e pode ser encontrado em diversas cores. 

Uma das suas maiores vantagens é já vir pronto e não necessitar da adição de outros produtos para ser utilizado, o que faz com que ele seja uma boa opção para pessoas menos experientes. 

Limpe os rejuntes com produtos que você tem em casa

Bicarbonato + água oxigenada

Para limpar os rejuntes, você pode utilizar uma mistura de uma parte de bicarbonato para duas de água-oxigenada ou, até mesmo, o bicarbonato puro. É só deixar a substância agir por alguns minutos e esfregar com uma escova de dentes. 

O bicarbonato é uma ótima pedida para esse tipo de limpeza, já que possui uma ação efetiva contra a sujeira e o encardimento e pode ser encontrado com facilidade, por um preço baixo. 

Você também pode aproveitar o bicarbonato para fazer a limpeza do box do banheiro e de armários, por exemplo. 

Alvejante de roupas brancas + água fervente

Outra forma de remover a sujeira é utilizando uma mistura de alvejante para roupas brancas com um copo de água fervendo: é só misturar, aplicar no rejunte e aguardar o produto fazer efeito por 10 minutos, aproximadamente. 

Depois, esfregue com uma escova de dentes e retire o produto com um pano, assim como na dica anterior. 

Vinagre

O vinagre de cozinha pode ser utilizado para vários tipos de limpeza, inclusive a dos rejuntes.

Assim como nas outras dicas, seu processo de aplicação é simples: é só deixá-lo agir nos rejuntes por aproximadamente 20 minutos, esfregar com a escova de dentes e retirar com um paninho.

Detergente e vinagre

Além de utilizar o vinagre puro, você também pode fazer uma mistura de detergente com vinagre para potencializar o efeito das substâncias. 

Para utilizá-la, basta misturar um copo de vinagre com duas colheres de sopa de detergente, esfregar e retirar os produtos com um pano.

O que achou das nossas dicas de limpeza de rejuntes? Agora a limpeza da sua casa ficará muito mais simples! E se você precisar de uma ajudinha com ela, é só pedir um help pelo nosso app que colocamos você em contato com quem mais entende do assunto 🙂 

Um revestimento pode fazer toda diferença no ambiente, como trazer um ar mais moderno, retrô e rústico, por exemplo. São diversas opções para criar um charme no ambiente transformando-o em um espaço único.

É importante escolher o material adequado, por exemplo, se a parte que for revestida tiver contato com água, como um box no banheiro, vai ser importante se certificar de usar um revestimento que poderá ter contato direto com umidade. 

Para os revestimentos da cozinha e banheiro é preciso priorizar a praticidade, a durabilidade e a facilidade de limpar, principalmente, visto que esses são ambientes de maior movimento e acúmulo de sujeira.

É bom lembrar que para garantir a segurança é importante usar também revestimentos que são antiderrapantes.

Pensando nesses detalhes, que muitas vezes são esquecidos, trouxemos uma lista com algumas opções para te ajudar a escolher. Assim fica mais fácil escolher o mais prático, mais bonito e que cabe no orçamento 🙂

Tipos de revestimentos

O revestimento precisa ser escolhido de acordo com o estilo da decoração do ambiente, para que fique tudo bem harmônico.

Há diversos modelos, em diversas cores e formas, como os azulejos, as pastilhas, o porcelanato, mármore, entre outros.

Hoje também encontramos no mercado opções de adesivos que imitam esses modelos para quem gosta de estar sempre mudando e não quer gastar muito.

Com tantas opções disponíveis fica meio difícil saber qual a melhor opção para sua cozinha, por isso listamos 6 opções para você conhecer melhor e saber os cuidados com cada um:

Azulejos 

Uma opção muito usada são os azulejos, podem ser usados em pisos, paredes e podem ser usados tanto em banheiros como em cozinhas, pois funciona muito bem em diversos ambientes pela sua praticidade. Há uma ampla variedade de cores e tamanhos, tem um ótimo custo benefício, é extremamente fácil de cuidar visto que pode ter contato direto com água.

Limpeza: azulejos tendem a ficar com aspecto encardido principalmente as cores claras por isso uma boa dica é usar uma mistura de água, detergente e vinagre branco. Esfregue em movimentos circulares com uma esponja, limpe com um pano úmido e depois com um pano seco.

Porcelanato

O porcelanato é um tipo de revestimento cerâmico e é uma ótima opção de revestimento para cozinhas e banheiros, ele absorve menos água do que uma parede comum e tem alta resistência à abrasão física e química.

Tem diversas opções e é muito resistente a manchas e riscos. É perfeito para quem busca um ambiente mais sofisticado. 

Você pode usar tanto nas paredes quanto no piso, mas é importante equilibrar para que os ambientes não fiquem carregados se caso as cores escolhidas forem diferentes ou mais escuras.

Limpeza: utilize detergente ou sabão neutro e água, varra o piso com uma vassoura de cerdas macias para não arranhar, passe um pano de chão molhado e seque o piso com um pano seco para que não fiquem manchas. Se for limpar a parede use também um sabão neutro e água.

Pastilhas

Uma boa opção para trazer um ar moderno é as pastilhas que podem ser encontradas de diversos tipos de materiais: cerâmica, vidro, metal, mármore e muito mais.

Porém, uma desvantagem é o preço alto delas mas você pode optar por utilizá-las em pequenas partes apenas para dar uma cor a um ambiente neutro.

Elas são perfeitas para espaços pequenos pois elas dão sensação de amplitude.

Limpeza: a limpeza não precisa ser tão profunda, pois as pastilhas não absorvem água com facilidade. Você pode usar um pano comum ou flanela. Além disso, a água deve ser morna para ajudar a remover a gordura grudada.

Mármore 

O revestimento em mármore deixa o ambiente sofisticado e iluminado, mas é um investimento alto comparado a outros. Pode ser utilizado nas paredes, no piso ou em bancadas. Tem diversos tipos e é super resistente, não desgasta com facilidade. 

Limpeza: o mármore deve ser limpo com um pano umedecido com água e detergente, sabão neutro ou sabão de coco. Após esse procedimento, passe um pano molhado com água e termine secando o piso com um pano macio.

Ladrilho Hidráulico

Os ladrilhos são ótimas opções para dar um charme e personalidade para o espaço por ser bem marcante e ficam melhor em bancadas e paredes do box do banheiro por isso. 

Por ser artesanal o custo dele é mais elevado.

Limpeza: os ladrilhos hidráulicos são limpos com fricção ou abrasão, e não com produtos químicos. Lave os ladrilhos sempre com água e sabão neutro usando uma vassoura ou escova.

Cimento queimado

O cimento queimado é muito versátil e dá um aspecto moderno que combina com todos os estilos de decoração. Por usar apenas alguns materiais como argamassa, cimento, areia e água ele não é caro, então é um ótimo revestimento para quem quer estilo na decoração gastando pouco.

Limpeza: o ideal para manter o piso de cimento queimado limpo, é remover as sujeiras, como pó e areia, usando vassoura ou aspirador de pó. E na hora de lavá-lo, utilizar detergente neutro, água morna, pano limpo ou uma escova de limpeza.

Bônus: 

Tinta Epóxi

Se sua intenção é fazer uma mudança rápida, como trocar as cores dos azulejos ou pisos já existentes do seu banheiro ou cozinha uma boa opção são as tintas epóxi.

Algumas de suas vantagens são a durabilidade, a praticidade na limpeza e a impermeabilidade.

Limpeza: a limpeza de azulejos de cozinhas pintados com tinta epóxi deve ser feita com esponja macia e sabão neutro e tome cuidado com produtos abrasivos pois eles podem remover a tinta. 

E aí já sabe qual vai ser o escolhido para revestir seu banheiro e cozinha? Esperamos que nosso post te ajude nessa missão. Fique de olho no blog da UmHelp! Estamos sempre postando dicas para você. Até breve <3

Sabia que a esponja que você usa para lavar a louça é o item mais sujo da sua casa? Sim, ela ganha do tão temido vaso sanitário com até 200 vezes mais germes, segundo o especialista Roberto Martins, mais conhecido como Dr. Bactéria. 

Isso porque, apesar de serem fiéis ajudantes da limpeza do dia a dia, elas também são o ambiente perfeito para que microorganismos perigosos se proliferem. Alguns deles, inclusive, são possíveis causadores de intoxicações alimentares, vômitos e diarreias.

Sabendo disso, é imprescindível conhecer mais sobre seus cuidados, esses que são específicos para cada tipo e finalidade da esponja, a fim de evitar possíveis problemas causados por elas. Vamos lá? 🙂

Principais tipos de esponjas 

1. Esponja multiuso

A mais comum delas, a esponja multiuso é a famosa dupla ação, que serve tanto para limpezas de peças mais delicadas quanto a de sujeiras mais difíceis de serem removidas. Pode ser utilizada para limpar louças em geral, como pratos, talheres e copos.

2. Esponja não risca 

Geralmente feitas em cor azul, essas esponjas são ideais para a limpeza de superfícies delicadas, como panelas antiaderentes e superfícies delicadas, como vidros, inox, superfícies polidas, entre outros.

3. Esponja prateada

A esponja prateada é produzida com poliéster e poliuretano, materiais que aumentam a durabilidade e, ao mesmo tempo, a delicadeza dessas esponjas. Elas podem ser utilizadas em superfícies antiaderentes, louças e cristais, por exemplo. 

4. Lã de aço

Indicada para limpezas pesadas, a lã ou palha de aço é uma boa opção para remover gorduras impregnadas no fundo de panelas e para a limpeza de grelhas, por exemplo. Por ser feita de aço, é importante tomar cuidado para não riscar e estragar itens mais sensíveis com sua utilização, como itens feitos de aço inox ou com camadas de teflon.

5. Esponja vegetal

Uma opção natural e sustentável, as esponjas ou buchas vegetais são ótimas aliadas da cozinha, já que possuem o mesmo poder de limpeza das esponjas sintéticas com a vantagem de não riscar ou danificar a louça, além de terem maior durabilidade e ajudarem a preservar o meio ambiente. Elas podem ser plantadas ou compradas em mercados.

Cuidados com esponjas e buchas de pia

Agora que você já conhece as opções mais utilizadas para a limpeza diária das vasilhas e pia, é importante lembrar que, independentemente do tipo que você estiver utilizando, é imprescindível trocá-las toda semana, além de desinfetar com água fervente todos os dias. Assim, você evita que germes se reproduzam e façam a festa na sua cozinha 😉

Faça higienizações diárias

Para a higienização do dia a dia, é possível utilizar alguns métodos recomendados pelo Dr Bactéria, como:

  1. Lavar a esponja e deixá-la submersa em água fervente por 3 minutos;
  2. Lavar a esponja e levá-la ao microondas, embrulhada em papel toalha, por aproximadamente 1,5 minutos;
  3. Deixar a esponja por 10 minutos em uma solução de água sanitária com água (duas colheres de sopa para 1L, respectivamente).

Mantenha-as sempre secas

A umidade é um dos maiores atrativos para a proliferação de germes e bactérias. Por isso, após utilizar suas esponjas, não esqueça de enxaguar em água corrente até sair toda a espuma, torcer bem e deixar em local arejado para secar, ok? 🙂

Use uma para cada local

Evite utilizar a mesma esponja para limpar locais diferentes, mesmo se eles forem dentro da cozinha. Cada espaço possui seus germes específicos e utilizar apenas uma esponja para todos eles pode aumentar o risco de contaminação a troca de germes e bactérias. 

O que achou das nossas dicas de limpeza das tão utilizadas esponjas de pia? Não se esqueça de colocá-las em prática para preservar suas louças e sua saúde 😉

Um jantar para uma celebração ou uma comidinha do dia a dia. Não importa o tipo da refeição, todas elas são especiais. E se tem um item que vai estar sempre lá, em qualquer refeição, são elas: as panelas.

Cozinhar é uma delícia, a gente sabe. Mas depois sobra o trabalho das louças e panelas. E se tem uma tarefa que ninguém gosta de fazer é lavar panela. Imagina, então, aquelas que queimam e ficam com uma crosta grudada no fundo e nas laterais? Pensando em aliviar o trabalho de quem já passou por isso, decidimos reunir 5 dicas de como limpar uma panela queimada, assim você facilita seu trabalho para voltar a cozinhar numa boa depois.

Dica #1: usando água e sal

Uma dica para lavar panelas queimadas é, primeiramente, remover todo o excesso de alimento que ficou grudado no fundo da panela. Use uma espátula ou uma colher para te ajudar. Depois, encha a panela de água quente e adicione 3 colheres de sal, aguarde 15 minutos e lave a panela com uma buchinha e detergente – como você costuma lavar. O sal e a água quente vão dissolver o que ficou impregnado, mas se isso não acontecer de primeira, repita os mesmos passos uma segunda vez.

Dica #2: usando vinagre

Além de ser usado no preparo da comida, o vinagre também é um forte aliado na limpeza. Para recorrer ao vinagre para limpar panelas queimadas, retire todo o excesso de alimento grudado na sua panela e cubra todas as partes queimadas com vinagre branco e leve ao fogo por 5 minutinhos. Depois, espere esfriar ou use água fria para acelerar o resfriamento, lave a panela normalmente e pronto! O vinagre vai agir como um removedor do queimado e facilitar seu processo de limpeza.

Se quiser saber, leia esse artigo com dicas de como usar o vinagre nos cuidados da casa.

Dica #3: usando detergente

Você também pode usar o próprio detergente para te ajudar a remover o queimado das panelas. Adicione o detergente com água quente até cobrir toda a área queimada e volte a panela para o fogo. Quando ferver, retire do fogo, aguarde esfriar naturalmente, para dar tempo do detergente e da água quente amolecer o queimado, e esfregue com uma esponja de aço ou uma buchinha com cerdas mais firmes. Mas atenção: se sua panela for de aço inox, é melhor evitar a palha de aço para não riscar o material.

Dica #4: usando bicarbonato de sódio

Outro produto da cozinha bastante útil na limpeza, o bicarbonato de sódio pode nos ajudar a remover o queimado das panelas. Polvilhe o bicarbonato no fundo da panela queimada e adicione 2 colheres de sopa de água – ou uma quantidade que cubra a área queimada. Depois, ferva essa mistura até a água borbulhar. Aguarde a panela resfriar naturalmente e remova o queimado com uma buchinha ou uma palha de aço.

Dica #5: usando limão

Essa dica de como limpar o fundo da panela queimada usando limão não usa produto químico nenhum. Esprema 1 ou 2 limões e coloque o suco obtido sobre a crosta queimada. Depois, é só deixar agir por um tempo e lavar a panela normalmente. Você vai ver que o limão removerá boa parte do fundo queimado da panela.

Dica #6: usando refrigerante

Para panelas com poucos resíduos queimados, uma Coca-Cola pode ajudar na limpeza. Coloque o refrigerante dentro da panela e leve ao fogo, deixando ferver por poucos minutos. Depois, é só esperar esfriar e remover o que sobrou com uma buchinha de lavar louça

Dica #7: usando amônia

Outro recurso para aprender como remover o queimado da panela é usar produtos à base de amônia, mas nesse caso você precisa tomar bastante cuidado, já que a amônia tem um cheiro muito forte e soluções de amônia geralmente são muito concentradas – e não queremos que ninguém se machuque 🙂

Dica #8: pedindo um help

Você pode escolher uma dessas 7 dicas para limpar panelas queimadas ou pode, também, contar com nosso help para lavar suas louças e até panelas queimadas! Você escolhe o tipo de ajuda que quer na sua casa ou apê e vamos até você com gente especializada para ajudar com a limpeza!

Sabe aquele assado de domingo? E aquela torta gostosinha, fresquinha, que ninguém resiste quando sai do forno? Sim, é dele que vamos falar hoje. Ele, que é mais especial do que a gente imagina e um protagonista na arte da culinária. E mesmo que você não use seu forno com frequência, é bom mantê-lo sempre limpinho. Caso contrário, você corre o risco de atrair uns bichinhos indesejáveis, como baratas e formigas, atrás de restos de comida – além do mau cheiro que os alimentos podem dar quando apodrecem. Mas não queremos falar de coisa ruim aqui… Queremos trazer dicas de como limpar o forno, que sempre parece mais difícil que limpar o restante do fogão, mas isso não é verdade. A gente vai te mostrar que fazer a limpeza do forno não tem mistério algum 😀

A primeira coisa que você precisa descobrir é qual tipo de forno você tem em casa: autolimpante ou comum?

Como funcionam os fornos autolimpantes?

Você sabia que alguns fornos já vem com essa função? Deixa a gente te explicar[LM1]  como funciona um forno autolimpante: eles são revestidos de esmalte especial e de uma estrutura com pequenos poros. Quando você está preparando comida neste tipo de forno e respinga gordura, caldos ou farelos no revestimento, acontece uma reação química que transforma este respingo em cinzas.

O processo de autolimpeza dura de 2 a 6 horas. Depois disso, é só esperar o forno esfriar e passar um pano úmido para tirar os resíduos que ficam. Bem prático limpar fornos assim, não?

Como limpar os fornos comuns?

A limpeza dos fornos comuns pode até não ser tão prática quanto a faxina de fornos autolimpantes, mas também é um trabalho bastante tranquilo.

O primeiro passo é retirar as grades e prateleiras de dentro dele. Você vai ter que lavá-las na pia, igualzinho você faz com as grandes que ficam na parte externa do fogão – aquelas onde você coloca as panelas, sabe? Lave com detergente e use a parte macia da bucha para remover os resíduos. Quer saber dicas de como limpar o fogão? A gente te ajuda também.

Quando você for limpar as paredes do forno, é muito importante tirar o fogão da tomada e fechar o registro de gás. Esse cuidado é fundamental! Se o seu forno não estiver acoplado a um fogão, mas for um eletro à parte, siga essa dica também. Com os devidos cuidados tomados, agora é hora de passar desengordurante nas paredes do forno. Deixe agir por alguns minutos e, em seguida, é só esfregar com uma buchinha – mas use o lado macio, para não arranhar seu forno. Depois que terminar, passe um paninho úmido pra tirar os resíduos de comida e o desengordurante.

Se quiser, ao final do processo, deixe o forno aceso por 10 minutos para secar.

Alguns detalhes importantes

Se o vidro do forno for removível, é legal retirá-lo para poder limpar. A limpeza do vidro do forno não é nada diferente do que você já fez até aqui: desengordurante (tipo um detergente neutro ou produtos parecidos), a parte macia da buchinha e um pouco de água.

Quando a comida impregnar demais ou tiver muita gordura acumulada nas paredes do forno, você pode aquecê-lo antes de começar a limpeza. Isso ajuda a amolecer as partículas de gordura e facilita a remoção. Só 3 minutinhos já são suficientes, tá? Mas atenção: nada de colocar a mão no forno quente, hein? Espera esfriar um pouquinho para não se queimar.

Quando o forno autolimpante também estiver muito sujo, você pode fazer uma pré-limpeza antes de iniciar o processo. A dica de como limpar o forno aqui é mesma: ligá-lo por 3 minutinhos, esperar esfriar um pouco e passar um pano para tirar os excessos. Depois disso, é só explorar a autolimpeza a seu favor.

Ah, a gente já falou aqui várias e várias vezes, mas não custa nada repetir: tire o fogão ou o forno da tomada e feche o gás sempre que for fazer uma limpeza manual na parte interna. Deixar as janelas todas abertas é importante também, para que o gás, se vazar, vá embora com facilidade. O autocuidado vem sempre em primeiro lugar! 🙂

Se mesmo depois dessas dicas bater aquela preguiça de dar a faxina no forno, pede um help pra gente que vamos aí te ajudar. Garantimos a limpeza do forno elétrico, do forno a gás, da limpeza do fogão e tudo mais que você precisar.

Que delícia ver uma geladeira bem organizada, não é mesmo? Encontrar fácil o que você precisa, em vez de perder tempo pensando com a porta da geladeira aberta (quem nunca?) otimiza seu tempo e acelera seu lanchinho 🙂

Mas a gente sabe, também, que depois das compras dá aquela preguicinha de separar os produtos, organizar as frutas, dividir congelados e não congelados, guardar potes, saquinhos, caixinhas de alimentos.

Por isso, reunimos aqui algumas dicas de como guardar a compra na geladeira de um jeito prático e inteligente. São medidas que te ajudam não só a aprender como organizar o refrigerador, mas, também, como preservar os alimentos por mais tempo.

Entenda como funcionam as geladeiras:

Você já percebeu que, normalmente, os refrigeradores possuem o congelador na parte de cima? Isso tem um motivo: o ar frio é mais denso e tende a descer. Já o ar quente é mais leve e tende a subir. Esse processo se chama corrente de convecção.

Em uma geladeira, o ar frio é produzido mais intensamente no congelador. E, por causa da corrente de convecção, esse ar frio desce e ajuda a resfriar toda a geladeira mais rápido.

“Mas por que eu preciso saber disso, hein? É para organizar a geladeira ou passar no vestibular?”. Olha, pode até ser que isso caia no vestibular, mas nossas intenções aqui são outras: deixar a geladeira organizada e preservar os alimentos por mais tempo. Sabendo disso, você consegue priorizar os alimentos que precisam de mais refrigeração para a parte de cima da geladeira – é claro, se seu refrigerador não for do modelo invertido, aquele com freezer na parte de baixo, que é bem bonito também 🙂

Então, vamos pensar na organização da geladeira a partir dessa informação?

  • Peças de carne, pescados e produtos que precisam estar congelados não têm mistério de onde guardar: sempre no congelador – a não ser que você vá usá-los logo depois de comprar. Dica: nunca lave a carne antes de guardar. Isso pode tirar o sabor, alterar a textura e não ajuda muito na higienização, já que ela vai ser resfriada e, depois, cozida ou refogada em altas temperaturas.
  • Sabe aquelas gavetas superiores, que ficam logo embaixo do congelador das geladeiras tradicionais? Então, ali é um ótimo local para colocar frios, embutidos e laticínios. Nesse espaço, você mantém o alimento bem gelado sem necessariamente congelar. Você também pode colocar bebidas quando quiser mantê-las mais geladinhas.
  • Reserve a primeira prateleira para colocar ovos, alguns laticínios menos sensíveis – como manteiga e iogurte – e sobras de comida. Note que os ovos devem ficar nas prateleiras e nunca na porta. “Por que as geladeiras trazem bandejas para ovos nas portas, então?”. A gente também não sabe 🙂 Mas manter os ovos nas prateleiras de dentro é melhor para evitar a variação térmica e a perda de um ovo ou outro. Ah, e não guarde as sobras de comida dentro de panelas (é uma tentação, a gente sabe). Os potinhos de vidro ou de plástico são muito mais práticos e ocupam bem menos espaço. Invista neles!
  • Nas duas prateleiras de baixo, você distribui os doces, enlatados, caixas de leite, vinhos e sucos. Você também pode colocar as frutas que está consumindo. Por exemplo: higienizou as maçãs e vai comer com frequência durante a semana? Coloque na segunda prateleira, dentro de algum recipiente que for prático pra você.
  • A gaveta da geladeira é o espaço ideal pros dias de feira! Ali, você coloca as verduras, os legumes, as frutas e os temperos. Antes de guardar as verduras, é bom verificar se, entre as folhas, têm algumas já estragando. Se encontrar, descarte só essa parte e guarde o restante. Em pouco tempo, os temperos costumam escurecer na geladeira. Para desacelerar esse processo, armazene-os em sacos de papel ou potes forrados com papel-toalha.·  A porta da geladeira é a parte que mais sofre variação de calor. Por isso, o certo é colocar nela os alimentos que duram mais. A garrafa de água, por exemplo, pode ficar na porta. É um bom lugar, também, para o vinagre, o fermento em pó e os molhos – como o ketchup, a mostarda e o molho inglês. Tudo devidamente fechado, viu?

Outras dicas importantes de como cuidar da geladeira

Quando for organizar a geladeira, o ideal é não deixar muito coisa acumulada na primeira prateleira. O ar frio, que vem de cima (geralmente), tem que correr por todo o refrigerador. Por isso, nada de colocar panelas com comida lá dentro, como já dissemos. Lembre-se dos potinhos 😉

Sabe as frutas que você usa só quando faz sucos? Segue uma ideia bem prática: descasque e pique essas frutas, separe em potinhos fechados e coloque tudo no congelador. Assim, elas duram muito mais tempo, facilitam o preparo quando a sede bater e já deixam o suco bem geladinho quando você for preparar.

É sempre bom garantir a limpeza da geladeira, tá? Veja a validade dos produtos e tire de lá tudo que já passou do tempo. A gente te ajuda nessa,, se quiser, você sabe… Mas você pode fazer isso toda semana por conta também. É ótimo pra você saber exatamente o que tem em casa e o que realmente precisa comprar, pra não gastar com produtos repetidos, nem exagerar.

Desperdiçar comida não é legal… Quando você comprar novos alimentos, põe na frente os que já estão em uso e os que já estão para estragar. Com essa dica de como cuidar dos alimentos, você economiza no mercado e aproveita melhor suas compras, sem jogar nada fora.

Seguindo esses passos, você consegue ter uma geladeira organizada e bastante funcional. Além, é claro, de preservar bem os alimentos e evitar desperdícios. Agora, bateu aquela necessidade de última hora de limpar a geladeira, mas faltou tempo? É só pedir um help que a gente adora organizar, limpar, lavar – e nem precisa comprar os produtos para isso. A gente leva tudo pra você, tá?!

Aproveite também pra aprender a organizar a sua cozinha:

A cozinha é o ambiente da nossa casa que acumulamos mais coisas, não é mesmo? Utensílios, panelas, copos, potes, talheres e por aí vai. Sem contar nos alimentos, que não são poucos. A lista de coisas que precisamos organizar em uma cozinha é gigante. Imagine, então, fazer essa mágica em uma cozinha pequena… Tarefa complicada, mas não pra gente! Se quiser uma mãozinha na organização da casa, é só pedir nossa ajuda que vamos correndo descobrir como organizar a cozinha pra você.

Mas até lá, resolvemos trazer algumas boas práticas e ideias aqui pra você se virar por conta própria. Vamos lá?

Dica #1 – organizar é diferente de arrumar

Se você tem pouco tempo e quer só dar uma aparência melhor para sua cozinha, você precisa arrumar. Arrumar significa tirar dali e colocar lá; lavar a louça e guardar onde você geralmente a coloca; deixar de fácil acesso aquilo que você mais usa. Isso é arrumar. Organizar tem outro papel: é um trabalho estratégico; é tirar tudo do lugar e rearranjar a ponto de fazer tudo ficar mais prático e funcional e esteticamente mais agradável.

Dica #2 – como organizar os itens da minha cozinha

Entendida as diferenças entre uma coisa e outra, é hora, então, de entender como podemos otimizar o espaço em uma cozinha pequena, seja num apartamento de 1 quarto ou num studio, que tá na moda e a gente adora! Gostamos muito de um passo a passo também. Vamos ver o que criamos pra você?

Passo #1 – praticando o desapego

Jogue fora sem dó. Se não usa, não tem porque guardar 😉 Numa cozinha pequena, o desapego é amigo do bem-estar. Por isso, a primeira tarefa que você tem a fazer é olhar para cada objeto, para cada utensílio, e pensar: “com que frequência eu uso esse negócio?”. Se sua resposta for “quase nunca”, desapegue, doe, venda. Faça o que achar melhor, menos guardar de volta em seus armários, tá? 🙂

Passo #2 – investindo na organização

Para deixar a casa do jeito que merecemos, precisamos investir um pouquinho. Mas é só um pouquinho mesmo, sério! Seus armários tem mais espaço do que você imagina. E saber otimizá-los é fundamental para descobrir como manter uma cozinha pequena organizada. Você conhece prateleiras internas? A Aramado tem várias delas super lindinhas e práticas, que você pode usar na parte de dentro para otimizar a organização dos armários. Mas se quiser prateleiras ainda mais econômicas, você encontra facinho dando um Google em “prateleiras para organização”. Anota essa dica aí!

Passo #3 – os opostos não se atraem

Coisa parecida com coisa parecida, tá? O que queremos dizer? Que prato vai com prato. Copo com copo. Comidinhas com comidinhas. Se você organizar seus utensílios de cozinha por afinidade, vai logo ver que fica muito mais prático encontrar o que você precisa, sem ter que tirar tudo do lugar para achar aquele abridor de lata ou aquela taça pra noite de vinho com os amigos.

Dica #3 – eletros estrategicamente localizados

Se você usa a cafeteira todos os dias, vale deixá-la sobre o balcão da pia ou em alguma prateleira aberta; se você usa a sanduicheira em todo café da manhã, quem sabe não é melhor deixá-la em um lugar fácil de pegar e guardar? Nossa dica aqui já tá clara: posicione seus eletrodomésticos de acordo com o uso. Se você tem costume de usar o liquidificador, por exemplo, talvez ele possa ficar dentro do armário, num cantinho escondidinho. Agora, se você é do crossfit, já sabe que vai precisar bastante dele ou do mixer, então é melhor encontrar um lugar mais prático para eles.

Cada pessoa é de um jeito e cada casa também vai ser.

Só depende de você quebrar um pouquinho a cabeça para encontrar o melhor lugar para posicionar seus bens 🙂

Dica #4 – a geladeira é um ótimo armário

Uma saída bem útil para cozinhas pequenas é duplicar a função da geladeira. Potinhos, louças e até alimentos que não precisam ficar na geladeira podem encontrar uma boa morada nela, assim você consegue otimizar os espaços dos armários para o que for maior. A dica de ouro aqui é adotar uma prateleira como armário e, as outras, para cumprir a função para a qual foram criadas: resfriar seus alimentos \0/

Se depois de todas essas dicas você ainda olhar pra sua cozinha e se sentir perdido ou perdida, sem saber direito onde guardar isso, onde pôr aquilo, pede um help! A gente adora organizar as coisas na casa das pessoas e ver um sorriso ao perceber que sua cozinha pequena tem solução. É só saber encontrá-la.

Toda casa tem fogão. Pode ser grandão, do tipo industrial, ou daqueles portáteis, com uma boca só. Não importa o tipo. O fato é que ninguém fica sem ele em casa e, no fundo, no fundo, não tem nada melhor que preparar uma comidinha rapidinho na hora que a fome pega, não é? 😀 Mas fogão sujo ninguém quer. Por isso, reunimos aqui as principais dicas de como limpar fogão, para que você garanta uma cozinha sempre limpa e gostosa de se estar com quem é importante pra você.

Dica #1 – Fica frio

O primeiro passo antes de limpar qualquer fogão é se certificar de que não tem nada quente: nem as chamas, nem as grades, nem a superfície. Outra dica para limpar seu fogão é tirá-lo da tomada e fechar a saída do gás, seja ele de parede ou de botijão, só pra garantir que nada dê errado durante o processo de limpeza. Com fogo não se brinca e todo cuidado é pouco 🙂

Dica #2 – Tudo separadinho

Depois de garantir a segurança, é hora de desmontar a parte superior do seu fogão. Retire as grades, queimadores (ou chamas) e as tampas que os acompanham, se tiver. A dica aqui é já lavar essas partes separadamente, pois, enquanto elas secam, você termina a limpeza do fogão em si. Mas aguarde todas as peças esfriarem antes de lavá-las, tá? Dessa forma, você evita rachaduras nas grades por conta do choque térmico. Bom, vamos dar uma pausa, então, pra falar dessas peças que vão precisar de cuidado:

Dica adicional – Como lavar as peças do fogão

Todas essas peças desmontáveis dos fogões são partes que engorduram bastante e, geralmente, entram mais em contato com os alimentos. Por isso, é importante esfregá-las com uma buchinha de lavar louças e detergente neutro. Se houver qualquer tipo de ferrugem, utilize uma esponja de aço com detergente. Agora, se houver muita, muita coisa mesmo impregnada nas peças, uma ideia é deixá-las de molho submersas em água morna com detergente, para já ir amolecendo antes o que você vai precisar esfregar depois.

Voltando à limpeza do fogão

Com as peças separadas, a superfície do seu fogão vai ficar livre para você limpá-la. Pegue uma esponja macia, água morna e sabão neutro. Você vai ter que esfregar até remover toda a sujeira e gordura. Depois, com um pano úmido, retire todo o excesso de sabão que ficou.

UM RECADO IMPORTANTE: não jogue água, ok?

A água vai acabar caindo dentro do seu fogão e demorar pra secar, e com o tempo pode enferrujar as partes internas do seu fogão. Continuando: removido o excesso de sabão, volte com um pano seco, sem fiapos, secando a parte superior por completo. Depois, você já pode voltar com os queimadores e a grade bem sequinhos.

Dica #3 – Limpinho por fora

O trabalho mais pesado de limpeza do fogão já terminou. A partir de agora, fica mais fácil: é hora de limpar as laterais e a frente do seu fogão. Com um pano úmido e um pouco de detergente neutro, remova a sujeira e a gordura. Se precisar esfregar alguma parte com uma buchinha, lembre-se de usar o lado macio dela (aquele amarelinho, sabe?) e limpar com carinho, para não arranhar seu fogão. Depois, com um pano seco, volte removendo qualquer marca ou espaço úmido e pronto! O exterior do seu fogão já estará todo limpinho e pronto pra uso. Mas o serviço ainda não acabou (ufa!).

Dica #4 – Limpinho por dentro

Temos que cuidar também das partes internas do fogão, dependendo do modelo dele. Se seu fogão for um cooktop, sua tarefa vai até a Dica #3. Mas se for fogão de chão (ou de piso, como chamam por aí), daí o trabalho continua. Sugerimos que já faça a faxina completa no fogão, incluindo o forno também. Para garantir um forno limpinho, remova as grades e siga o mesmo procedimento da Dica #2, quando você limpou as peças móveis do fogão (lembra?). Depois, use uma solução de água e vinagre com um pano úmido e limpe toda a parte interna do seu forno. Veja aqui como usar o vinagre na limpeza da casa.

Parece muito complexo garantir um fogão limpo, mas não é. A melhor solução é usar e limpar, pois assim você evita o acúmulo de sujeira. Quanto mais sujo, mas difícil vai ser para limpar, daí você pode considerar pedir um help pra gente. Você já sabe que vamos adorar!

Agora que você já sabe como limpar o fogão, que tal preparar uma omelete com queijo e legumes? A gente ama cozinhar. E você?

Dá até pra ficar sem fogão, mas nem pensar ficar sem microondas em casa, não é mesmo? Esse eletro passou a ser um amigão na hora de matar a fome rapidinho, de aquecer a comida da geladeira, de preparar um leite quentinho ou descongelar seus alimentos de um jeito prático e rápido. Mas seja sincero: ele ajuda, mas sem os devidos cuidado vira tudo uma grande bagunça. E, depois que suja, dá um trabalhão limpar. Então, os truques de cuidado com o microondas hoje vão tentar responder à sua pergunta “como manter o microondas limpo durante o uso?”.

Cuidado #1: Use o papel filme a seu favor

O microondas aquece as moléculas de água dos alimentos, que se agitam bastante e podem causar “pequenas explosões”. Quem nunca descongelou uma lasanha e, depois, foi pego de surpresa com as paredes cheias de bolinhas de molho? Para evitar que tudo vire sujeira, aplique o papel filme em volta dos alimentos que vai aquecer e lembre-se de fazer pequenos furos nele, para que o ar quente circule.

Cuidado #2: Escolha potes e vasilhas corretamente

Existem alguns tipos de materiais impróprios para o microondas. É o caso de vasilhas com detalhes em metais. Potes e tupperware de plástico só devem ser usados se for para aquecer bem pouco. Caso contrário, priorize os refratários de vidro ou louça sem bordas. Uma dica é deixar as tampas semiabertas: elas vão proteger as “explosões” e, ainda assim, deixar o calor fluir no ambiente.

Cuidado #3: Acrescente um líquido em alimentos secos

Se for aquecer alguma coisa muito seca, que não contenha água em sua composição, considere adicionar um pouco de azeite ou leite. Lembrando que o microondas aquece a água, então ter líquidos é importante para que ele funcione bem.

Cuidado #4: Limpe o interior do microondas uma vez por semana

Manter a higiene desse eletrodoméstico é tão importante quanto prevenir a sujeira. Por isso, retire o prato de vidro e o círculo que o acompanha antes de começar a faxina. Depois, com um pano úmido com água, limpe todo o interior do aparelho e, com um pano seco, retire qualquer excesso de água. Ah, anota essa dica: evite produtos químicos para limpar o interior do microondas, pois deixam cheiro e podem entrar em contato com seus alimentos. Uma dica de limpeza do microondas é usar vinagre, uma saída econômica e eficiente contra as gorduras acumuladas nas paredes. Depois, é só montar tudo e pronto! Um microondas livre de sujeiras e pronto para você usar outra vez.

Cuidado #5: Lave as mãos antes de usar

Esse truque ninguém lembra, mas pode ajudar. Dedos engordurados vão sujar as teclas do seu microondas. O mesmo para as suas mãos, que vão entrar em contato com a porta pelo menos duas vezes. Lembre-se sempre de lavar as mãos para não ter que, a cada uso, voltar com um produto para tirar manchas e sinais da porta, dos puxadores e das teclas analógicas ou digitais.

Siga essas dicas e garanta um microondas sempre bem cuidado. Se quiser nossa ajudinha pra garantir isso, é só pedir um help. Vai ser uma delícia te ajudar!